domingo, 19 de junho de 2016

A ÚNICA SAÍDA

Não há mais como encobrir ou tentar disfarçar. O país está completamente atolado na corrupção e a constatação de que todos os partidos estão envolvidos é um sinal claro de que a falência do sistema político brasileiro já foi decretada.

Diante dessa constatação inequívoca, os militantes crédulos do PSOL e alguns partidos nanicos que ainda não foram pegos com a boca na botija poderão chiar, mas sem razão. O PSOL, por exemplo, a partir do momento que resolveu atacar apenas o que chama de direita reacionária - que pra mim não existe no Brasil - e por questões ideológicas preservar a esquerda bandida, envolve-se até o pescoço na lama fétida da corrupção. Não há projeto ideológico que justifique assaltar cofres públicos, provocar mortes de crianças e idosos nos corredores dos hospitais, aumentar a criminalidade nas ruas, arrasar o sistema de educação e quebrar empresas estatais, antes sólidas. Essa seletividade hipócrita além de não salvá-los, os transforma em comparsas. Para o PSOL e esses outros poucos, vale a famosa frase de Albert Einstein. "O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa dos que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que só observam e deixam o mal acontecer."

E daí vocês me perguntarão: você está jogando todos os partidos no mesmo saco? E eu responderei que estou, sem o menor remorso ou medo de estar errado. Todos eles são compostos por bandidos da pior espécie, pois, como você classificaria assassinos de pessoas inocentes, muitas delas que ainda nem chegaram a descobrir o que é viver e outras que passaram a vida inteira trabalhando e pagando impostos, merecendo suas justas aposentadorias e serem tratadas como seres humanos? Assassinos e por sinal, muito bem remunerados. Ganham salários médios de R$ 34 mil, assistência médica familiar de R$ 8 mil, auxílio moradia e outros benefícios que somados superam R$ 170 mil mensais. E ainda por cima podem aposentar-se após 8 anos de contribuição. Tudo pago por nós, idiotas. Em resumo, é o próprio povo pagando caro o trabalho sujo de seus algozes.

Mas o nosso problema está só nos partidos políticos? Antes fosse! Temos outro algoz implacável que se chama Supremo Tribunal Federal que, a princípio, deveria ser o último recurso contra as injustiças que sofremos. Mas não... hoje o STF é um braço forte do poder estabelecido e devemos essa constatação ao Mensalão. Sim, o mensalão despiu, pôs a nú a corte máxima do país e seus ministros. Graças a esse processo, pudemos saber quem é quem, quem foi de quem e quem se tornou de quem. Passamos a acompanhar os julgamentos e hoje, por mais que os ministros se esforcem para justificar suas injustiças enrolando a língua no mais casto jurisdiquês, sabemos quem é quem. Como escreveu o pensador Nicolae Iorga, "A justiça pode caminhar sozinha; a injustiça precisa sempre de muletas, de argumentos."

Os ministros do STF ainda não entenderam - ou se fazem de desentendidos - que a consciência da maioria mudou, que justiça é algo que se sente e esse sentimento não se desfaz com argumentações ininteligíveis ou palavras difíceis. O inconformismo com a injustiça não cede às interrogações geradas pelo abuso do tecnicismo e da empáfia. No mais claro português para contrastar com o palavreado erudito de suas excelências eu digo: Foda-se o argumento e viva o nosso sentimento!

Agora, deixando de papo, vamos à única saída.

A lava Jato não vai parar e mesmo que pare de fato, na essência ela jamais será esquecida e o povo honesto e ordeiro continuará surfando em sua onda inercial. É esforço inútil tentar desmoralizar o juiz Sérgio Moro, o Ministério Público (excluo Janot) e a Polícia Federal. Vocês estão num beco sem saída. Nós estamos num beco sem saída. Uma guerra civil seria dolorosa para todos, inclusive para vocês, hoje poderosos. Perderiam seus cargos, seus altos salários e suas benesses. O que escolhem?

Bandidos e não bandidos: reúnam-se, conversem e acertem-se. Encontrem uma forma constitucional para fazer o país se aprumar, crescer e se desvencilhar desse imbróglio em que todos nós o metemos. Sim... não nos excluímos do pecado original, mas são vocês que têm o poder que lhes concedemos a título precário. Se nós mudamos, vocês também têm que mudar. Não há outra escolha. As diferenças entre nós e vocês estão apenas em seus cérebros doentes. Um dia morrerão e serão enterrados a sete palmos ou cremados, exatamente como nós. Como no ditado popular italiano, "No final da partida, o rei e o peão são guardados na mesma caixa."

Chega dessa estupidez de bancarem os maiorais e mãos a obra!

Vocês são pagos pra isso, muito embora recebam muitíssimo mais do que merecem receber.

.

Um comentário:

Maria Maria LFS disse...

Uma reforma política se faz necessária com urgência, mas , não com os políticos que estão aí (meia dúzia se salvam), resta-nos conscientizar a maioria votante...

Posts mais populares