sexta-feira, 26 de novembro de 2010

A violência e a teoria do mercúrio

Já experimentaram pressionar uma gota de mercúrio (metal líquido - árgyros khytós) sobre uma superfície lisa? É o que acontece quando a segurança é tratada como responsabilidade única dos estados: coloque uma gota de mercúrio num mapa do Brasil, em cima do Rio de Janeiro ou qualquer outro estado, aperte e ele vai "correr" para além das fronteiras, procurando a área mais próxima e livre de pressão para se acomodar. E isso vale tanto para as ações repressivas quanto preventivas da segurança pública.

Segundo o IPEA, nosso país é campeão mundial em crimes violentos e é lógico que  47,7 mil por ano (2007) não acontecem somente no Rio de Janeiro. De 2003 a 2007 os homicídios caíram apenas 6,5%, ou seja, de 51,0 para 47,7 por ano, mas representando ainda, cerca de 130 mortes/mês. Em resumo, a cada 10 minutos morre 1 ser humano no Brasil vítima de crime violento. No fim desta página encontrarão link para download do relatório do Instituto Sangari com o Mapa da Violência 2010 - Anatomia dos Homicídios no Brasil.

Não adianta aumentar verbas de segurança e promover ações especiais só nos locais ou nos estados que sediarão os jogos da copa e as olimpíadas ou apenas concentrar esforços e ações nos momentos de crise. A pressão tem que ser distribuída uniformemente no Brasil inteiro. Eu até entendo as dificuldades de um país com dimensões continentais como o nosso, mas o gerenciamento das verbas e das ações que envolvem a segurança pública não podem ser planejadas e coordenadas apenas pelos estados.

Principalmente neste momento crítico, um empurra-empurra entre governo federal e estado, além de irresponsável seria não-fraterno e inadimissível.

Parece que foi Serra que sugeriu o Ministério da Segurança Pública e os especialistas da área concordaram. E nessa hora a vaidade tem que ficar de lado, pois é uma questão de sobrevivência, literalmente. Com tantos ministérios servindo de cabides de emprego para pagar dívidas políticas, por que não criá-lo?

Leia também: Remédio contra a violência


-o-


Nenhum comentário:

Posts mais populares