segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Remédio contra a violência

É bonito ver debates entre filósofos, ideólogos e políticos sobre as raízes da violência. "A violência é consequência da falta de atenção dos governos para a educação", diz o filósofo; "É o resultado da desigualdade social promovida pelo capitalismo.", contra-argumenta o ideólogo; "É a incompetência do governo ao administrar as verbas da segurança.", ataca o político da oposição; "É herança dos governos anteriores", justifica o político do governo.

No entanto, a verdade mais contundente é vista nos jornais: "Mais de 47,7 mil pessoas morrem por ano no Brasil, vítimas da violência", dizem os registros do IPEA de 2007. Em resumo, mais de quatro mil seres humanos morrem por mês ou um a cada 12 minutos, por homicídio.

Num comparativo, no ano passado, perto de 6 mil pessoas foram infectadas pelo vírus H1N1 e perto de 11% morreram no Brasil, ou aproximadamente 600 pessoas. O número de mortes no mundo chegou próximo de 20 mil. Nos EUA, estima-se que perto de 50 mil pessoas morrem por ano vitimadas pelas gripes sazonais. Não são dados exatos e apenas servem para ilustrar o texto que não se refere às doenças, mas à segurança e violência no Brasil, país MAIS VIOLENTO DO MUNDO, segundo estatísticas.

Temos que fazer comparações para poder entender melhor a incoerência nos critérios dos gastos governamentais. A verba gasta na segurança no ano passado foi de 8,5 bilhões. Nesse mesmo ano, só na compra do Tamifu (anti-viral para combater a gripe H1N1), o governo gastou R$ 400 milhões numa canetada só, fora os investimentos imediatos que mobilizaram órgãos públicos, hospitais e postos de saúde. É óbvio que uma vida não tem preço e salvar uma que seja, não há dinheiro gasto que não possa ser justificado.

No entanto, o buraco é mais embaixo. Como o Tamiflu não é uma droga preventiva, podemos dizer que foram gastos 400 milhões para evitar a morte de 6 mil pessoas infectadas pelo vírus, ou seja, R$ 67 mil por pessoa. Numa comparação simples, dividimos a verba de R$ 8,5 bilhões em 2009 destinada à segurança pela média de 24 milhões de ocorrências policiais por ano e o resultado será de R$ 360,00 por ocorrência policial. Nesse debate entre políticos, filósofos e ideólogos para achar os verdadeiros culpados, os vencedores são a realidade e os números.

Os governantes precisam URGENTEMENTE investir num Tamiflu para combater a violência e essa turma parar de blá blá blás.


-o-


Um comentário:

Marcos Vinicius disse...

Oi, Dilma, tudo bem?
Eu tenho lido os textos do seu blog e são muito passíveis de debates, e é isso que a maioria dos leitores devem fazer: debater, questionar, criticar, argumentar. Principalmente os jovens que precisam se interessar mais pela leitura para que alguns deles não caiam no mundo do crime, pois só mesmo com valor aos livros para a educação brasileira subir mais alto.

Quanto ao texto, é impressionante ouvirmos os responsáveis pela segurança pública, que batem no peito ao dizer que tal cidade, apesar de incluída na lista das mais violentas, é exemplo de polícia eficiente, de adoção de planejamento de combate aos crimes mais hediondos. Exercemos nossos papéis de cidadania, mas eles não param de brincar de governar.

Infelizmente, não existe fiscalização em cima dos nossos representantes lá em Brasília. O que mais me deixa intrigado é uma determinada parte do povo não saber que os governantes nos representam no congresso, que pagamos os salários deles do nosso bolso. Cada um deles quer apenas deixar a sua marca, como se estivessem fazendo um favor.

Posts mais populares