sexta-feira, 4 de março de 2011

Máximas do saber - Goethe

“O que sabemos, sabemo-lo afinal apenas para nós mesmos. Se falo com alguém daquilo que julgo saber, imediatamente ele supõe saber melhor que eu, e sou obrigado a regressar a mim mesmo com o meu saber. O que sei bem, sei-o apenas para mim. Uma palavra pronunciada por outro raramente constitui um estímulo. Na maior parte das vezes suscita contradição, paralisia ou indiferença.

Instruamos primeiro a nós mesmos e seremos depois capazes de receber instruções dos outros.

Em verdade aprendemos sempre em livros que não somos capazes de avaliar. O autor de um livro que fôssemos capazes de avaliar teria que aprender conosco.

Muitos têm orgulho do que sabem. Face ao que não sabem, costumam ser arrogantes. No fundo só se sabe quando se sabe pouco. À medida que cresce o saber, cresce igualmente a dúvida.”

Johann Wolfgang von Goethe

Nenhum comentário:

Posts mais populares