terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Mágoa

Um dos sentimentos mais destrutivos que existe é a mágoa. Poucos entendem o fato de que os pensamentos são conectores energéticos invisíveis que nos interligam em rede e são responsáveis pela energia que não só molda o inconsciente coletivo (humanidade), como também os nossos humores e ânimos, individualmente. Conservar a mágoa e se negar ao perdão (pedido ou concedido) sincero e manifestado é conservar a lembrança inconsciente e a energia amarga nela contida.

Não se trata apenas de conceder ou pedir o perdão, mas de antes refletir profundamente, inclusive colocando-se no lugar da pessoa, ou seja, praticando a necessária, mas tão pouco compreendida e utilizada, empatia. Razões são individuais e por mais verdadeiras, por mais firmes e inabaláveis que sejam, sempre as serão sob os nossos pontos de vista, normalmente parciais porque envolvem a perda ou o reforço da nossa auto-estima.

Eliminar mágoas é mais do que uma obrigação fraterna enaltecida em todas as escrituras e filosofias... é parte importante da inteligência emocional, que envolve a capacidade de lidar com os nossos próprios sentimentos e com os alheios aos nossos. Mágoas são raízes invisíveis que nos prendem ao passado e que impedem a mente e o espírito de caminharem juntos na vida.

A idéia deste texto não é de se aprofundar no tema, pois ele merecia volumes e mais volumes de reflexões e de constatações. No entanto, jamais encontraríamos em qualquer um desses volumes algo que incentivasse a mágoa como algo necessário para que nos tornemos seres humanizados e felizes.

A lembrança fica por minha conta... o resto é com a gente!




Nenhum comentário:

Posts mais populares