sexta-feira, 8 de julho de 2016

Carga horária de 80 horas semanais. Uma ideia brilhante da CNI!


Há quem diga que a corrupção é o maior problema do Brasil, mas quando a gente ouve ou lê coisas assim tão estúpidas como essa sugestão do presidente da Confederação Nacional da Indústria de ampliar a carga horária semanal do trabalhador para 80 horas, chega à conclusão de que o buraco do Brasil está literalmente mais embaixo. Se a corrupção é o maior problema do país, o segundo certamente é o espírito de corpo das classes, sejam das patronais ou das trabalhadoras, essas últimas, tanto as que envolvem o funcionalismo público quanto a iniciativa privada. É um festival de falta de bom senso das duas partes.

Tudo bem... a gente entende que deve haver um equilíbrio de forças entre empregadores e empregados, mas a corda da estabilidade dos ganhos e salários deve ficar esticada, sem no entanto se romper. Que considerem o risco do empresário investidor e a remuneração justa de seus colaboradores, mas sem inviabilizar nenhum dos dois e muito menos a tão sofrida economia do país. No Brasil essa corda já virou cabo de guerra e a intenção não é a de esticá-lo, mas de derrubar o adversário da outra ponta, sem perceberem que essa luta se desenvolve numa prancha de gangorra sobre o abismo. Mas aqui é assim... cada um por si e o resto que se lasque.

Voltando ao caso da CNI, a entidade sugere aumentar a carga horária semanal do trabalhador de 44 para 80 horas, alegando que a França o fez (engana-se porque lá é de 60h) e vamos supor que se admita fazer isso. Nada mais justo que a indústria faça também a sua parte desse sacrifício e aceite reduzir seu lucro líquido em 45%, repassando esse benefício para o consumidor final.

Que tal?

Nenhum comentário:

Posts mais populares