quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Alstom, Mensalão, Petrolão e outros roubos

As pessoas estão mudando, não tanto quanto a gente precisava, mas estão. O partidarismo está em queda livre. Punição exemplar pra todos os corruptos, independentemente do “P” partidário que ostentem. O que a gente não pode é confundir as coisas e querer que TODOS sejam julgados e punidos juntos e ao mesmo tempo.

domingo, 6 de dezembro de 2015

O TEMPO PASSA. O TEMPO VOA.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

STF: Beco sem saída

A Operação Lava Jato avança, a despeito das manobras e pedaladas jurídicas do Supremo. Vamos supor que o STF esteja bem intencionado e que haja uma preocupação com o caos político-partidário no país, o que também resultaria num caos político-social com desdobramentos imprevisíveis e inimagináveis. Mas a pergunta é: há como evitar esse caos utilizando o bom senso jurídico? Não, não há. Mesmo que o STF esteja bem intencionado, não existirá modo suave para uma higienização político partidária no país considerando os níveis atingidos pela corrupção.

Não estamos falando de um deslize ou de um problema pontual que atinge determinados partidos. Pela própria postura da oposição (oposição?), nota-se que a corrupção é generalizada e não adianta colocar panos quentes. Já estamos naquele ponto onde se discute qual partido é menos corrupto ou que utilizou menos caixa dois, nome que se dá ao "desvio aceitável" para minimizar a podridão. Em resumo, de uma forma ou de outra, todos têm o rabo preso.

Segundo alguns jornais, Eduardo Cunha tem listas de gastos de deputados. "Cada deputado tem direito a até R$45 mil mensais livres de impostos para gastos com passagens, moradia, gasolina, aluguel de carros e de escritórios ou mesmo almoços e jantares. Já houve caso de cobrança de despesa com um regabofe em motel." (Elio Gaspari); Todos os partidos, de alguma forma ou de outra, receberam doações de empreiteiras envolvidas na Lava Jato, e por aí vai...

Não... não estou colocando todos num mesmo saco e existem exceções, mas não estamos tratando delas e sim da maioria, pois, somos governados por ela num regime (ainda) democrático. Vale no entanto ressaltar que esta minoria ainda não contaminada pode não estar acuada por ter rabo preso com a corrupção, mas por corporativismo ou medo.

Voltando então ao STF, tentar ir por caminhos mais suaves é tarefa hercúlea, senão impossível, além de que os ministros estão arriscando serem tratados como criminosos ou comparsas, pois, o povo não lê pensamentos nem interpreta intenções. Nem teria como... sua costumeira indolência está por um triz!

Como escreveu Victor Hugo: "Em tempo de revolução, cuidado com a primeira cabeça que rola. Ela abre o apetite ao povo."


quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Pôr-do-Sol musicado com poema de Fernando Pessoa


 Visite www.purareflexao.com.br

Relaxamento diário assistido - Reprogramação Mental -10 minutos

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

PARTIDOS QUE APROVARAM A LAVANDERIA-BRASIL

































Falta agora criarem imposto sobre o tráfico de drogas e de seres humanos. Quem sabe também um imposto para turismo sexual e pedofilia.

"Quem mandou dinheiro para o estrangeiro (para bancos europeus, especialmente os suiços, americanos etc.), ou manteve esse dinheiro lá, de forma ilegal [pelas leis vigentes no Brasil, de maneira criminosa], ganharia (de sobra) uma anistia criminal, em relação a todos os crimes fiscais e financeiros, incluindo os crimes contra a administração pública: falsidades, fraudes."

"Basta que a pessoa física faça a retificação da declaração do IR e, em lugar de pagar a alíquota de 27,5%, pagaria apenas 5% sobre o valor dos bens. A alíquota cai pela metade se os bens forem aplicados em algumas áreas (definidas no projeto) ou em fundos de investimentos. As pessoas jurídicas pagariam alíquotas entre 8% e 10%. Não é preciso repatriar todo o dinheiro. A anistia vale mesmo que só parte do dinheiro venha para o Brasil." (Fonte: JusBrasil)

"O único partido que votou integralmente com o governo foi o PCdoB. Os demais aliados, incluindo PT e PMDB, tiveram dissidências. Dos 60 petistas que votaram, dois foram contra. No PMDB, foram 51 a favor e 11 contra. Divisões maiores ocorreram no PDT (sete a favor e cinco contra); no PP (18 a favor, 14 contra e duas abstenções); no PR (18 a favor, sete contra e três abstenções); no PRB (11 contra e oito a favor); no PSD (15 contra e 12 a favor); e no PROS (oito a favor e três contra)."

"Na oposição, os deputados de PSDB, Rede, PSOL e PPS votaram contra. No DEM, dois foram favoráveis ao projeto; no PSB, apenas um." (Fonte - O Globo)



.

domingo, 8 de novembro de 2015

PÃO 100% INTEGRAL COM AVEIA E SEMENTE DE GIRASSOL


Este pão é nutritivo e rico em fibras. Sua receita foi elaborada para ser feita em duas etapas e este é o grande segredo para que fique macio. Seus ingredientes nos proporcionam os seguintes benefícios:

FARINHA INTEGRAL: mantém as estruturas do grão de trigo, mantendo mais fibras, proteínas e vitaminas.

AVEIA: ajuda a diminuir os níveis de colesterol e açúcar no sangue.

SEMENTE DE GIRASSOL: Ajuda a combater o mau colesterol, fonte de selênio, desintoxicante, vitamina E, fitoesteróis, magnésio e cobre.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

"Em tempo de revolução, cuidado com a primeira cabeça que rola. Ela abre o apetite ao povo" (Victor Hugo)

O Congresso Nacional virou uma coisa ruim só, e isso é bom pro povo - no qual me incluo - poder aprender. O corporativismo nessas horas fala mais alto. A oposição se abraça com o governo e ambos sobem em cima do muro para encontrar a outra parte que falta. São salários de 27 mil mais benefícios que chegam à quantia pornográfica de R$ 150 mil por mês, cada um. Multiplique isso por 594 e teremos 89 milhões por mês jogados na lata do lixo. Apenas como referência, esse valor em um ano daria para construir 40 hospitais com UTI ou 200 escolas com postos de saúde. Se preferir, faça um cálculo para aumentar os salários dos professores, da polícia e de tantos outros que trabalham para o país e ganham uma miséria. Se eu falar das aposentadorias desses sanguessugas a revolta será maior ainda. 

Estão brincando com a gente. Não vou aqui falar dos 7% que apoiam o governo porque compõem um grupo restrito formado por pessoas loucas, desequilibradas, fanáticas, bipolares, psicóticas, esquizofrênicas, mais as que se beneficiam da corrupção.

PARA OS ATEUS: Estamos próximos de uma grande catástrofe social e até agora não caiu a ficha desses políticos idiotas de que perderão suas boquinhas e de nada adiantará o dinheiro que amealharam porque serão caçados no Brasil e no mundo inteiro depois que o Brasil ruir. Todo dinheiro do mundo não será suficiente para que se escondam da população revoltada, que não sossegará enquanto não vê-los, um a um, atrás das grades. 

PARA OS ESPIRITUALISTAS: O karma coletivo que esses estúpidos estão adquirindo com a morte de idosos, mulheres e crianças nos corredores dos hospitais, dos assassinatos nas ruas e de outras injustiças sociais que estão promovendo, será suficiente para que nadem na lama do umbral pela eternidade.

O Congresso continua brincando e a revolta aumentando.

Não restará pedra sobre pedra.


terça-feira, 3 de novembro de 2015

Ainda não somos todos um, mas o mundo será um

Estamos vendo essa fuga ou febre migratória na Europa, mas - guardadas as devidas proporções - isto também vem acontecendo em outros continentes e tende a crescer. Independentemente de guerras, conflitos e dos governos tiranos, há um fator indiscutível que está promovendo o aumento constante dessas migrações: a comunicação.

Além da dificuldade que se tem hoje para erguer muros reais (como o da Alemanha Oriental, por exemplo) e virtuais (vigília ideológica e militar) como se fazia no passado, o mundo hoje tornou-se menor com o acesso à informação, mesmo com alguns governos ditadores tentando manter o povo longe da Internet, TV e rádio, assim como computadores, celulares e tablets. As tentativas de se proibir o uso desses aparelhos têm se mostrado infrutíferas e aos poucos esses muros reais e virtuais vão caindo, pedra por pedra. O grande inimigo das ditaduras é a comunicação sem controle governamental e já está impossível controlá-la eficientemente.

O povo suporta condições inumanas enquanto não pode ver o que acontece fora de suas fronteiras, mas quando consegue enxergar e imaginar como seria sua vida fora delas, seu instinto o faz enfrentar qualquer perigo.

Não sei quanto tempo levará, mas a unificação dos povos acontecerá, mais cedo ou mais tarde. Principalmente porque as desigualdades sociais que já são imensas no mundo de hoje, certamente se tornarão cada vez maiores.

O dinheiro do mundo está concentrado nas mãos de poucos, principalmente no sistema financeiro internacional e no tráfico de drogas.  O diretor do escritório da ONU denuncia que alguns empréstimos interbancários foram financiados com dinheiro procedente do tráfico de drogas e de outras atividades ilegais, mas reconhece que é difícil provar e não menciona nome de instituições.

Muito embora eu seja a favor do capitalismo, sou contra o capitalismo selvagem que não produz nada e vive da especulação e da exploração humana.

"Que se precipite o colapso dos selvagens e criminosos sistemas econômico-financeiros mundiais que asfixiam e escravizam os mais fracos, liberando espaços para a Grande Reforma Planetária" (OFL)

Num futuro não muito distante, todos os países serão apenas um.

Não haverá outra saída.






Trecho do filme "Mindwalk" - Ponto de Mutação


Trecho do filme "Mindwalk" (Ponto de Mutação) de Bernt Amadeus Capra. O universo está em constante mutação e uma teia de elementos liga as nossas vidas; uma serpente ou dragão que morde a própria cauda. No final do filme, o poema de Pablo Neruda é declamado pelo poeta Thomas Harrimann (John Heard), pois, para ele, é a única forma de expressão que pode "explicar" a vida.

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Relaxamento - Reprogramação mental - 10 minutos




Um exercício guiado, fácil e rápido para ser feito duas vezes ao dia. Se praticado diariamente, em algumas semanas poderá sentir seus efeitos benéficos, seja no trabalho, em suas práticas filosóficas, religiosas, criativas ou simplesmente para ter um sono tranquilo. . É uma técnica de relaxamento que lhe proporcionará um bem estar duradouro. Para ser praticado por qualquer pessoa, pois, não é religioso ou dogmático e não exige nenhum tipo de conhecimento. Basta dedicação e determinação.



| Texto e locução © Pura Reflexão - 2015 | Músicas (credit to http://www.oceanicpiano.com) e imagens de domínio público |

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

CURICACA CAÇANDO BESOUROS NO GRAMADO



Curicaca caçando seus besourinhos no gramado. Impressionante como ela identifica o lugar onde eles se escondem no meio da grama alta (Campos do Jordão, SP) - © JCGM | 2015

CURICACA (THERISTICUS CAUDATUS): A Curicaca é grande, de cabeça e pescoço pardos e asas escuras. Apresenta uma máscara preta ao redor dos olhos, que são vermelhos. Usa o bico comprido e curvado para capturar centopeias, gafanhotos, lagartixas e pequenas rãs. Seu nome popular é uma onomatopeia de seu canto/chamado, mas ela também é conhecida em alguns lugares (por exemplo, no pantanal do Mato Grosso) como “despertador”.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

STF: VAIDADE, PARTIDARISMO E INDIFERENÇA

Há muito tempo o STF demonstra-se incomodado com o juiz Sérgio Moro. Uma parte por questões partidárias (isso mesmo!) e outra pela mais pura vaidade. Quais ministros compõem cada grupo? Oras bolas... até as pedras sabem quem é quem nessa turma e os que ainda não sabem é só procurar a recente história dos julgamentos do STF (do Mensalão pra cá) nos arquivos dos jornais na internet e começar a prestar atenção no que vem acontecendo e no que acontecerá daqui pra frente. Separar o joio do pouquíssimo trigo será mais fácil que roubar doce de criança, saber quem é a pior presidente do mundo ou o partido que rouba mais. Se bem que a disputa entre partidos está acirrada.

Mas como eu disse no início, há dois grupos - a um terceiro, mas é pequenininho - que podem ser facilmente identificados:

GRUPO DA GRATIDÃO: É composto por ministros que sentem-se agradecidos pela indicação do pixuleco e da madama, pois, não fosse a recomendação devido a seus currículos de ativistas e de bons serviços prestados ao partido bolivariano, eles jamais chegariam aonde estão porque tem muita gente melhor, muito embora não tão "adequada" aos requisitos. O "agradecido" não disfarça nem um pouco para tomar suas decisões altamente questionáveis até por leigos, pois, considera-se protegido pelo cargo que ocupa e usa seu notório saber jurídico (menos a conduta ilibada) para substanciar suas argumentações em "jurisdicês arcaico", inacessível aos beócios cidadãos comuns que servem apenas para pagar seus altos salários e mordomias.
GRUPO DA VAIDADE: É composto por ministros que estão tendo ataques frenéticos, morrendo de ódio e ciúmes do juiz Sérgio Moro. Onde já se viu, dizem eles! Como pode um "juizinho federal" ganhar essa notoriedade toda? Que petulância desse desaforado que fica fazendo sua obrigação e cumprindo a lei! E nós, que temos o cargo que ele almeja para coroar sua carreira de magistrado, ficamos de mãos atadas, à mercê dos seus pedidos de prisão preventiva sem podermos negar, pois, além de serem juridicamente corretos, o país inteiro está nos vigiando. Vamos fatiar esses processos e tirar os holofotes desse metido!

Pois bem... é mais ou menos assim que boa parte da nossa grande Corte Suprema pensa e atua. Quando não restam mais argumentos nos capítulos e parágrafos das leis e da Constituição, esses dois grupos recorrem ao preâmbulo constitucional para fazerem seus discursos filosóficos, dignos de um Platão, Gandhi, Buda ou Cristo. Nesses momentos até os pássaros param de cantar para escutar suas ponderações humanistas, dignas dos monges e sábios tibetanos. Mas no final, os que comemoram mesmo são os diabos, os advogados dos criminosos e a OAB (desculpem tripla redundância)!

Se fui muito sarcástico neste texto, desculpem-me. Afinal, a gente tem que ser sarcástico e irônico no país mais corrupto dos universos conhecido e desconhecido. Somos imbatíveis não só na corrupção, mas também na impunidade, na falta de saúde, segurança e educação. País do povo-hiena, não menos corrupto que seus eleitos.

Mas nem tudo é frustração. Resta-nos o "orgulho" de sermos os únicos bons em tudo aquilo que é ruim.

No Brasil a natureza é pródiga, mas alguns filhos da pátria (FDPs), não.


domingo, 6 de setembro de 2015

O MENINO AYLAN E A LOUÇA DA COZINHA

A pergunta é: por que, tanto a direita xenófoba quanto a esquerda anti-ocidental e mais a imprensa - os "normais" também - ignoram os corredores dos hospitais e as filas do SUS que matam milhares todos os anos, o equivalente a muitos barcos de imigrantes naufragados? E nem vou me referir à violência nas ruas. A preocupação do brasileiro e da imprensa hoje é a política. E sem essa de dizer que estão combatendo a causa principal, pois, ela é a causa principal de todos os problemas do mundo, mas a roubalheira foi banalizada e não provoca mais nenhum choque na população, muito embora devesse causar. Quantos  Aylans, tios, pais, mães irmãos e avós de Aylans morrem todos os dias por falta de atendimento médico ou aguardando consultas e exames por meses e até anos. Ou será que esse problema já foi resolvido e ninguém sabe?

É óbvio que a morte do menino nos choca e só uma pessoa muito fria não se sensibilizaria com a cena da praia e todo o contexto que envolve o desespero daqueles imigrantes, mas está faltando a imprensa voltar a lembrar da situação desesperadora do nosso sistema de saúde pública e divulgar fotos que causariam tanto impacto quanto ela. Como diz o ditado, todos querem resolver o problema da fome do mundo, mas se esquecem de ajudar a mãe a lavar a louça do almoço.










terça-feira, 1 de setembro de 2015

Marcelo Odebrecht: É pior ser dedo-duro ou miolo mole?

Pelo silêncio e camaradagem dos deputados em suas perguntas foi fácil concluir que a influência da construtora em eleições é enorme. O financiamento de campanha é o calcanhar de aquiles dos parlamentares e mesmo que no futuro ele não saia das empresas privadas, o caixa dois sempre existirá, pois, os coeficientes para eleger vereadores, prefeitos, deputados, governadores, senadores e presidente sempre serão os mesmos e só mudarão as variáveis das receitas. Sempre existirá um "declarado" bem inferior ao "não declarado" para a Justiça Eleitoral. No fundo todos eles cedem às tentações e se vendem, variando apenas o preço. Em 2014, o grupo Odebrecht doou R$ 918 mil a deputados da CPI.

Mas deixando essa turma venal de lado, vamos ao mais patético. Não importa se Marcelo Odebrecht vai ou não aderir à delação premiada. Se ele acha que ser dedo-duro é pior do que ser ladrão do dinheiro público de centenas de milhões de brasileiros que, se usado para o bem, estaria salvando vidas nas portas e nos corredores dos hospitais o problema dele. O cara que se mostrou tão preocupado com sua imagem perante a seus filhos e gerações futuras, esqueceu-se de que, independentemente do que ele pensa ser pior ou melhor, seu caráter já foi definido pela Polícia Federal, pelo juiz Sérgio Moro, por grande parte dos cidadãos brasileiros e já foi registrado na história. O texto abaixo já definiu sua qualificação:
"Por meio de acordos de cooperação internacional, em especial com autoridades da Suíça, os investigadores da força-tarefa que apuram os tentáculos do propinoduto na Petrobras conseguiram mapear a atuação direta da Odebrecht em 56 atos de corrupção e 136 lavagens de dinheiro. De acordo com os investigadores, a empreiteira atuou na movimentação de 389 milhões de reais em corrupção e de 1,063 bilhão de reais com a lavagem de dinheiro. Em um esquema mais sofisticado do que a simples atuação em cartel, a empreiteira distribuía propina a partir de repasses a contas de empresas offshore e, dessas, enviava novamente o dinheiro sujo para contas bancárias secretas de agentes que ocupavam cargos-chaves na Petrobras, como os ex-diretores Paulo Roberto Costa, Nestor Cerveró e Renato Duque e o ex-gerente Pedro Barusco."
Incluir dedo-duro nessa capivara não fará a menor diferença e será muito mais difícil explicar a seus filhos e futuras gerações de que o dinheiro das propinas que deu para a Petrobrás visando garantir [segundo ele] a saúde de sua construtora e de seus sócios, foi indiretamente responsável pela morte de milhares de brasileiros por falta de saúde pública, pelo crescimento da criminalidade, pela deterioração da educação no país e pela quebra da maior estatal brasileira.

Miolo mole SIM... dedo-duro, NUNCA!

.

CARTA ABERTA AOS IDIOTIZADOS POR IDEOLOGIAS

1. Em primeiro lugar, assistam a este vídeo sem vomitar:


.
2. Em segundo lugar, leiam o texto abaixo:


CARTA ABERTA AOS IDIOTIZADOS POR IDEOLOGIAS

Bando de babacas que ficam lendo livros comunistas sem digerirem seu conteúdo e sem consultar as consequências históricas das tentativas de implantação que mataram centenas de milhões de inocentes! Papagaios que repetem palavras de ordem por deficiência cognitiva. Irresponsáveis que nunca imaginam suas famílias envolvidas numa luta armada e o sofrimento de uma nação em que o povo parte para esse tipo de sandice alimentada pelos que ficam protegidos em seus bunkers de aço e concreto pagos com dinheiro público . Seres idiotizados por falsos ideólogos. Sociólogos pés rapados tupiniquins a serviço do politburo mórbido e covarde, que nunca se expõe e usa ingênuos como massa de manobra para seus objetivos sádicos e inconsequentes. E o pior de tudo é ver os hipócritas pacifistas apoiando esse tipo de insanidade pela "causa". Que causa, cara pálida? A dos interesseiros vendedores de ilusões que se beneficiam pessoalmente e enriquecem às custas do sangue de inocentes? Bando de robotizados programados pela escória da humanidade!
.
3. Em terceiro e por último, assistam ao vídeo abaixo:


.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

A desobediência civil e os otários-úteis

Que moral tem a justiça deste país para punir uma eventual desobediência civil? A Constituição e as leis tornaram-se opcionais para altos escalões do poder. E o pior de tudo é que esses calhordas são aplaudidos por ignorantes que, quando não se omitem por questões de orgulho ou partidarismo, insistem em querer ressuscitar ideologias que já mataram milhões na história da humanidade por simples teimosia e irracionalidade.

São os otários úteis a serviço do poder. Otários porque acreditam que o dinheiro público roubado pertence apenas aos adversários. Úteis porque sem eles esses bandidos já teriam sido banidos da vida pública e da sociedade.

domingo, 30 de agosto de 2015

QUE DISCURSO MAIS VARZEANO PRA UM PROCURADOR, SEU JANOT!

A gente até entende Dilma e seus partidários vindo com essa história de golpe ou de que foi eleita pelo povo e não se fala mais nisso, mas um Procurador Geral da República não dá, né doutor Janot!

Quer dizer, excelentíssimo, que se descobrirem que houve fraude na campanha eleitoral ou nas urnas a "zona eleitoreira" tá liberada? Roubou, não descobriram e ganhou, a coisa já era? O fato dos eleitores terem sido enganados pela mídia governamental utilizada indevidamente ou paga com dinheiro afanado do Petrolão é uma grande fatalidade? O crime prescreve?

Atenção ladrões e criminosos em geral! Isso vai virar jurisprudência. Se roubarem e não forem descobertos em 3 meses, vocês serão absolvidos. Foi o Procurador Geral da República quem disse. E fiquem tranquilos porque o Ministério Público os defenderá e não terão de pagar nada.

Desculpe a expressão, mas que merda de país é esse onde o chefe maior do Ministério Público se considera acima da lei e prevarica dizendo saber o que é melhor pro país ou pior, defende interesses de um partido em detrimento da lisura eleitoral? Quem é o senhor pra rasgar a Constituição e as leis brasileiras? Quem é o senhor pra dizer que uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral não vale nada? Por que essa merda de tribunal existe então? Pra conferir votos eletrônicos de sala trancada onde as informações só vazam pra donos de empreiteiras?

"Informação de Dentro do TSE: Aécio 5% na frente", escreve um deles, às 19h24 daquele domingo. "FHC ESTÁ Falando em Vitória de Aécio. Pode ser boato, mas ..." Na resposta, Leo Pinheiro, então presidente da OAS, solta: "Vamos ver". Minutos DEPOIS, o Alívio: "Dilminha ganhou !!!!!", festejou Pinheiro. (Folha de S. Paulo: "Em mensagens, executivos da OAS comemoram vitória eleitoral de Dilma")

Peraí... 19h24? Informação de dentro do TSE? Mas Toffoli não pediu pra não divulgarem e não falarem nem pra ele os resultados parciais das apurações antes das 20h?

Ah, seu Janot... tudo bem então. Se não pegaram até o dia das eleições ou nos prazos estabelecidos para entrar com representação, fica por isso mesmo. Azar dos palhaços cidadãos brasileiros que terão de aguentar uma presidente mentirosa e incompetente durante os próximos 4 anos. Como? O senhor foi reconduzido à Procuradoria Geral, seu salário ta garantido então que se dane o resto?

Este nosso país tem é que QUEBRAR MESMO e renascer das cinzas. Não há uma só pessoa de valor no topo da hierarquia da justiça brasileira que ao menos tente fazer valer as leis e a Constituição. Tudo é sofrido; tudo é chorado e a justiça não flui sem o povo nas ruas e sem a imprensa berrar.

E pra completar, o Tribunal Superior Eleitoral é superior só no nome e não vale nada. Tem advogados "chegados" fazendo vez de juízes como Luciana Lóssio (que trabalhou na campanha de Dilma em 2010) e Maria Thereza Rocha, a primeira indicada por Dilma e a segunda por Lula. Bem disse Joaquim Barbosa quando se referiu a advogados fazendo parte da Corte Eleitoral: "Ele [advogado] cuida de seus clientes durante o dia, tem seus honorários e à noite ele se transforma em juiz. Ele julga, às vezes, causas que têm interesses entrecortados e de partes sobre cujos interesses ele vai tomar decisões à noite. Estou falando da Justiça eleitoral, que nada mais é do que isso.

Disse anteriormente e reafirmo: este é um país de merda! Sim eu sei... nós, povo, também.



sábado, 15 de agosto de 2015

LOCAIS E HORÁRIOS DAS MANIFESTAÇÕES





LOCAIS E HORÁRIOS DAS MANIFESTAÇÕES

16/08/2015








segunda-feira, 27 de julho de 2015

PAGAMENTO DA DÍVIDA EXTERNA: O ENGODO DO SÉCULO



Gosto de recapitular sempre. Quando Lula assumiu o país em 2003, a dívida interna era de 600 bilhões e a externa de 220 bilhões. Quando ele disse que pagou a dívida do FMI em 2008, a dívida interna já estava em 1,5 trilhões. Hoje a interna está em R$ 2,5 trilhões e a externa em US$ 400 bilhões (R$ 1,2 trilhões). Do total da dívida externa + interna, o Brasil saltou de 800 bilhões em 2003 para 3,7 trilhões em 2015.

Isto é o que acontece quando se quer fazer assistencialismo com dinheiro público, quando se administra um país como o Bar do Tião e se rouba até não poder mais. Governos não produzem riquezas, quem produz é o povo. Se o PIB não cresce, a indústria é desestimulada, cai o nível de empregos e empresas fecham. Como produzir riquezas para pagar PACs, Bolsas Família, Minha Casa Minha Vida, investimentos em saúde, segurança e educação?

É o mesmo que termos uma renda mensal de R$ 5 mil e gastarmos 10 mil. A conta não fecha! Ou arrumamos um outro emprego, ou reduzimos nossos gastos ou quebramos. Isto nem é matemática financeira é aritmética simples.

Se vocês descobrirem quem pagará essa dívida darei uma mandioca de presente.

.

Dívida pública - G1: http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/07/divida-publica-sobe-35-em-junho-para-r-25-trilhoes.html

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Golpe? E a sua memória, vai bem?

Sem muitas palavras, como escreveu o economista e filósofo John Galbraith "Nada é tão admirável na política quanto uma memória curta."


sábado, 27 de junho de 2015

Políticos fazem de conta que não entenderam. Vamos desenhar?


Ministro Mercadante: "O principal ministro da presidente garantiu que não houve ilegalidades e desafiou os jornalistas a entrarem no site da Justiça Eleitoral e verificarem recibos já declarados."

O problema não é a doação de campanha devidamente contabilizada e aprovada pelo TSE. O problema é a origem desse dinheiro:

1) Proveniente de ações políticas CORRUPTAS junto às empreiteiras para facilitar a vitória delas em licitações; 
2) Fruto de propina em obras SUPERFATURADAS
3) Operações financeiras em paraísos fiscais NÃO DECLARADAS.

Deu pra entender ou tem que fazer um vídeo??

sexta-feira, 26 de junho de 2015

UMA PIRUETA, DUAS PIRUETAS, BRAVO... BRAVO!



Hoje nossos ilustres senadores chapas-brancas disseram na Venezuela que embora tenham sido convidados pelo governo para visitar os presos políticos eles não foram porque não queriam se intrometer nos assuntos internos do país. Teatrinho mambembe de roteiro pré-estabelecido. Aliás, os dois grupos, tanto da oposição quanto do governo foram fazer política interna brasileira na Venezuela, mas pelo menos o primeiro teria um objetivo secundário ou indireto que beneficiaria a democracia.

Interessante essa coerência da esquerda brasileira... a senadora Vanessa Grazziotin diz que não pode interferir nas decisões internas da Venezuela, mas veja a declaração dela sobre Guantanamo:
"... [imprensa] nenhuma fala de Guantânamo, nenhuma fala dos cinco cubanos que estão presos e que foram injustamente condenados” nos Estados Unidos."
Esse "injustamente" é o que, cara mais do que pálida?

Quando hoje li essa historinha dissimulada deu vontade de vomitar. Não pela mentira em si, mas pela hipocrisia achando que acreditaríamos nesse teatro de segunda categoria.

Amigos e amigas... se essa coisa que está aí e que chamam de governo permanecer estaremos ferrados.

E algemados.

.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

DESCOBRI QUE SOU REAÇA!

O PT e alguns bitolados da esquerda retrógrada me convenceram de que realmente sou reacionário. Fizeram-me perceber essa minha "quadradisse" e agora estou em dúvida se devo permanecer reaça ou se continuo sendo fiel a essas fantásticas ideologias que em detrimento da justiça para todos defendem privilégios para algumas centenas de bandidos desonestos que se escondem atrás delas.

Resolvi então ser REAÇA por 10 motivos:

1) Reaças não aceitam serem roubados em nome de uma ideologia estúpida e capenga; 
2) Reaças não aceitam gente morrendo nas portas e corredores dos hospitais enquanto bilhões de reais são desviados para enriquecer pessoas e partidos políticos; 
3) Reaças não aceitam gente morrendo na violência das ruas pelo mesmo motivo; 
4) Reaças não aceitam professores ganhando mal e ensinando mal pelo mesmo motivo; 
5) Reaças não aceitam serem manipulados por mentiras e não suportam quando as ficam repetindo, insistindo em considerar o povo como um bando de imbecis; 
6) Reaças não se conformam com os 80 bilhões de prejuízo de uma das maiores empresas de petróleo do mundo por causa da corrupção; 
7) Reaças não se conformam com ladrões governamentais que escolhem o melhor negócio para o país pelo tamanho da propina que pagarão pra eles; 
8) Reaças não se conformam com zumbis robotizados que agitam bandeiras partidárias e que idolatram ladrões do dinheiro público; 
9) Reaças não trocam sua liberdade de expressão pelo silêncio; 
10) Reaças não trocam sua dignidade por justificativas estúpidas dos heróis de mentirinha.

Eu teria mais uma centena de razões para ter orgulho de ser chamado de "reaça", mas só essas já bastam. Bastam para que me enquadrem como reacionário e se auto-enquadrem como idiotas.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

A revolução do século XXI


 Como Pablo Picasso retrataria Guernica, trocando espadas, touros e humanos
por computadores, redes sociais e seres virtuais? 


Já estamos tendo, mas teremos mais. Tempos difíceis neste século para o Brasil em todos os sentidos, mais especificamente no sócio-político. O despertar que muitos países tiveram nos séculos passados com guerras, privações e caos social, nosso país terá agora os mesmos traumas numa versão contemporânea. Alguns ainda não entendem o que está por trás de algumas ideologias que tentam raptar o bom senso das mentes para manipulá-las livremente com promessas que a princípio fazem sentido, mas que nunca serão cumpridas. Simplesmente porque, na teoria e na prática, a luta pelo poder caminha num sentido oposto ao da luta pela igualdade e da liberdade.



sexta-feira, 5 de junho de 2015

Joaquim Barbosa recebe Honoris Causa em Israel

A JUSTIÇA E O VIL METAL - O AMOR É LINDO!

BRASIL: Construtoras do Petrolão - "A nova proposta, obtida pela Folha, transfere as negociações da CGU para a AGU (Advocacia-Geral da União) e garante um bônus: os beneficiários ficariam livres da culpa desde que pagassem seus débitos, integralmente, e à vista. Se fosse na CGU, haveria desconto desses valores."

SUIÇA: Banco HSBC - "O HSBC decidiu pagar US$ 43 milhões (R$ 135 milhões) às autoridades de Genebra para encerrar o caso Swissleaks. A Justiça suíça investigava supostos crimes de lavagem de dinheiro cometidos pelo banco. Segundo comunicado oficial, o HSBC concordou em pagar a multa por não ter conseguido evitar crimes financeiros. Com o pagamento, a ação criminal foi arquivada."

O primeiro, o país mais corrupto do mundo; o segundo, um país diplomaticamente neutro, tido como sério e que abriga as entidades e organizações mais importantes do mundo. O que esses dois países têm em comum? Dinheiro ilícito comprando garantias de impunidade na justiça.

Com esses procedimentos os governos tornam-se receptores dos produtos dos roubos ou, em trocados e miúdos, lavou, ta novo!

Aconselho futuros pais a registrarem seus filhos na Junta Comercial. Como pessoa jurídica, seu futuro impune estará garantido.

Que tal José Odebrecht, Maria Camargo Corrêa ou Ling-Ching Hong-Kong Shanghai-Banking?

quinta-feira, 4 de junho de 2015

A Internet e a Queda das Máscaras

Nem os EUA imaginavam que sua ferramenta de domínio mundial e espionagem que começou com a ARPANET na década de 60 resultaria no que vemos hoje. Não fosse a rede mundial difundida e apoiada "democraticamente" (entre aspas) com seus satélites de comunicação a preço de bananas, as máscaras do poder, da corrupção, das segundas intenções e, principalmente, da impunidade não estariam despencando em governos e países do mundo todo.

A pulverização da informação, embora tenha seus aspectos nocivos com redes de boatos, perversão, pedofilia, crimes, entre outros, tem o seu lado bom cada vez mais evidenciado no papel de desmontar mentiras e hipocrisias que antes demoravam séculos para serem desmascaradas. No fundo, é a rede imitando a vida.

Embora o lado ruim exista e nunca será eliminado, com a mesma rapidez que ele é disseminado, é também desacreditado, coisa que não acontece com as verdades que apenas são depuradas, corrigidas e aperfeiçoadas, mas não desaparecem. Gravações de áudio e vídeos são o antídoto do esquecimento.

Mensalão, Petrolão, FIFA, CBF, BNDES, fraudes nas eleições, estratégias de domínio das grandes potências, interesses pessoais e corporativos são algumas das máscaras que estão caindo.

E a coisa está só começando. Ou teremos uma completa reciclagem de valores sociais e na política do Planeta ou uma terceira guerra mundial.

Das duas, provavelmente as duas.

.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

FHC TEM RAZÃO, MAS NÃO TEM RAZÃO.

Falando com empresários em Nova York, FHC disse que os malfeitos vêm do governo Lula e ele tem razão. Lula teve sorte de pegar um Brasil com boas perspectivas de crescimento, sem inflação e relativamente saneado se considerarmos que o total dívida (interna mais a externa) estava perto de 700 bilhões e hoje já ultrapassou a casa dos 2,5 trilhões. Lula foi quem começou a jogar o país no abismo a partir de 2007, e só não começou antes porque as reservas ainda estavam boas e os bancos (incluindo o BNDES) e empresas estatais ainda tinham dinheiro nos cofres, graças à sangria do Tesouro com seus aportes bilionários.

Ele não teve razão foi de poupar Dilma, ao compará-la com Lula e dizendo que foi no governo dele quando tudo começou. A coitadinha herdou tudo de seu sucessor? Que nada! A presidentA incompetentA e mentirosa continuou a saga de Lula e teve competência apenas para mentir e empurrar os roubos do erário com a barriga pra ver no que ia dar e se dava pra segurar. Mostrou e continua mostrando total incapacidade administrativa e política para governar um país, sem contar o time que escolheu para ajudá-la a enterrar ainda mais as nossas esperanças.

Uma coisa que FHC não fala e nenhum político fala, seja do governo ou da oposição: o PMDB está há quase 30 anos mandando e desmandando escondido no sub-poder, fazendo suas negociatas e falcatruas dos porões do Planalto e do Congresso. O partido majoritário assinou e aprovou tudo o que lhe foi passado para ganhar seu dinheirinho sossegado e curtir as delícias da impunidade.

A oposição no Brasil é feita por nós. O resto é teatrinho de fantoches dessa confraria sustentada com o nosso dinheiro. Dinheiro dos idiotas que trabalham.

Nem "fora FHC", nem "fora Lula" e nem "fora Dilma". Fora dessa mobilização, senhores políticos! Oposição é povo nas ruas.

sábado, 9 de maio de 2015

EM 1992 COLLOR RENUNCIOU ANTES DO IMPEACHMENT


Com a declaração ontem do empreiteiro Ricardo Pessoa de que a UTC doou 7,5 milhões para a campanha de reeleição Dilma por temer (Temer?) prejuízos em seus negócios com a Petrobrás, começa a se desenrolar o mesmo roteiro para a situação da presidente e será difícil ela escapar dessa.

Pra quem não conhece o roteiro:

1. Pedro Collor, irmão do presidente, concedeu entrevista à revista VEJA, em maio de 1992, denunciando um esquema de lavagem de dinheiro no exterior comandado por Paulo César (PC) Farias, tesoureiro da campanha eleitoral de 1989. Fernando acusou o irmão de insanidade mental - desmentida por exames.

2. O Congresso Nacional criou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as denúncias. Vieram à tona esquemas como a Operação Uruguai: empréstimos fraudulentos para financiar a campanha de 1989. Além disso, contas fantasma operadas por PC financiavam a reforma da Casa da Dinda, onde Collor morava.

3. As ligações do presidente com os golpes de PC ficaram evidentes. Um carro Fiat Elba para uso pessoal do presidente foi comprado com dinheiro vindo das contas fantasma do tesoureiro de campanha. Em agosto, o motorista Eriberto França contou à revista Istoé como levava contas de Collor para serem pagas por empresas de fachada de PC.

4. Em busca de apoio, o presidente fez um pronunciamento pedindo para que a população fosse às ruas, em 16 de agosto, vestida com as cores da bandeira nacional. O povo não atendeu e saiu vestido de preto, em protesto. Entre os manifestantes, destacaram-se grupos de estudantes batizados pela imprensa de "caras-pintadas".

5. Em 24 de agosto, um relatório da CPI atestou que US$ 6,5 milhões haviam sido transferidos irregularmente para financiar gastos do presidente. A insatisfação popular aumentou e, em 29 de setembro, o impeachment foi aprovado por 441 dos 509 deputados. Collor foi afastado e substituído por Itamar Franco, seu vice.

6. Collor foi, então, julgado pelo Senado Federal. Em 29 de dezembro, o presidente renunciou para tentar engavetar o processo e preservar seus direitos políticos. No entanto, por 76 votos a 3, os senadores condenaram o presidente, que não poderia concorrer em eleições pelos oito anos seguintes.

Fonte: Mundo Estranho http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-foi-o-impeachment-de-collor

quinta-feira, 7 de maio de 2015

AJUSTE FISCAL: Justo ou injusto?


Não existe nada pontualmente justo ou injusto nessas medidas de ajuste fiscal que o ministro Joaquim Levy e o governo Dilma estão promovendo. Tudo é justo e ao mesmo tempo injusto. Se Aécio tivesse ganhado a coisa não estaria sendo diferente. Aliás, sob o ponto de vista de arrocho, provavelmente ele seria maior. O que o PSDB, DEM e partidos de oposição estão fazendo é chiar e fazer política por conta de serem oposição. Chiaram ontem com o pacote de medidas que, entre outras coisas, altera o seguro desemprego e chiarão nos próximos que passarem pelo Congresso. E se o PSDB fosse governo, o PT estaria chiando. Os ajustes precisam ser feitos, não tem jeito.

Os governos Lula e Dilma devem ser julgados pelo passado e não pelo presente. Por que sofreremos nos próximos anos?
1) Completa incapacidade de governar um país;
2) Irresponsabilidade e incompetência administrativa;
3) Ganância e desejo de se eternizar no poder;
4) Maioria no Congresso a qualquer custo;
5) Má índole;
6) Ladrões, mentirosos e maus carácteres: Lula, Dirceu e Cia;
7) Partidos de apoio corruptos e interesseiros;
8) Usam gente como ratos de laboratório de ideologias mortas;
9) Oposição quase inexistente e não muito diferente deles;
Calma... não se desesperem porque estamos apenas começando a sofrer consequências da nossa própria omissão. A lei da ação e falta de reação.

.

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Oposição hoje é o povo nas ruas... e só!



Já tivemos várias provas de que a oposição não nos entende e não se entende entre ela. Nunca houve uma oportunidade tão grande pra que ela se posicionasse inteligentemente, mas o corporativismo e o medo predominam nas atuações da Câmara e do Senado. Vemos apenas discursos das tribunas, mas não há só um político da oposição se preparando para fazer perguntas claras e desafiadoras para o candidato ao STF, Luiz Edson Fachin. Tudo indica que teremos a repetição da sabatina feita para Toffoli, quando TODOS simplesmente se borraram e o referendaram. Com seu notório saber comprovado em duas reprovações para juiz de primeira instância e sua conduta ilibada na atuação como advogado em defesa do PT e de seus sindicatos, Toffoli foi aprovado para compor a corte mais importante do país.

Nossa oposição é medrosa e até entendemos porque morrem de medo de um ministro do STF. Falta-lhes culhão e ficha limpa. Falta-lhes a coragem de um Ulysses Guimarães. Oposição era Covas, era Tancredo, era o próprio PT. Falta-lhes hoje tradição e sobra-lhes acomodação. Na verdade OPOSIÇÃO hoje somos nós na internet e nas ruas. Oposição, só pra discursar na tribuna e na TV. Tudo bem... as próximas eleições, mais cedo ou mais tarde chegarão.

No caso de Fachin, todo os brasileiro têm o direito de declarar seu voto, mas o problema não é este. Declarar o voto é uma coisa e fazer discurso emocionado e arregaçar as mangas para trabalhar a favor de um candidato à presidência é outra completamente diferente. Mas a oposição cisma em dizer que Fachin é aprovado pela maioria das entidades e pelo povo do Paraná. Onde estão as pesquisas que mostram isto?

Mas cabo eleitoral é só o primeiro item da listinha de episódios comprometedores do jurista petista, lamentavelmente defendido por Álvaro Dias e Miguel Reale Júnior.

Veja alguns feitos de Fachin, cuja sabatina no Senado está prevista para quarta-feira (29):

1) Pediu voto para Dilma em 2010, lendo manifesto dos juristas que “tomaram lado” e batendo com gosto no governo FHC. 
2) Assinou dois contratos de serviços de advocacia com empresas elétricas do governo quando Lula era presidente. Um com a Itaipu Binacional, no valor de 250 mil reais, outro com Furnas, no valor de 90 mil reais. Total: 340 mil reais. 
3) Realizou eventos pagos de direito com patrocínio de empresas estatais como o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, a usina hidrelétrica Itaipu e a Sanepar, companhia de saneamento do Paraná. 
A organização de cada congresso custou em torno de R$ 300 mil e pelo menos metade desses recursos foi bancada pelos patrocinadores. 
4) Em 2010, aproximou-se de Rosemary Noronha, amante de Lula, para ser indicado à vaga de Eros Grau, mas não foi bem sucedido. 
5) Em 2013, publicou artigo com opinião contrária à prisão de manifestantes violentos na série de protestos que revelou os métodos dos Black Blocs. 
6) Manifestou contrariedade às prisões preventivas, instrumento constitucional usado agora com frequência na Operação Lava Jato. 
7) Colocou seu nome em um abaixo-assinado pró-MST de 2003 – com o então deputado petista Luiz Eduardo Greenhalg e Fabio Konder Comparato – que legitima as invasões de terras. Diz o manifesto: 
“A Constituição Federal, no seu artigo 184, impõe ao Presidente da República a obrigação de desapropriar as terras que não estiverem cumprindo sua função social. Elas devem ser destinadas à reforma agrária. 
Para cumprir a função social da propriedade da terra, o proprietário está obrigado a aproveitá-la de modo racional e adequado (…). 
Em que pese a urgente necessidade da sua realização, a reforma agrária sempre foi postergada pelas pressões espúrias de forças conservadoras. Sua necessidade, contudo, é de tal monta que ela sempre volta à agenda política do país, como está acontecendo agora. Isto se deve, em grande medida, à legítima pressão que os trabalhadores rurais sem terra vem exercendo sobre o governo e sobre toda a sociedade, através de uma atuação organizada e disciplinada, e também – por que não dizê-lo? – através das ocupações pacíficas de propriedades que mantém as terras ociosas, sub-exploradas, mal exploradas, em afrontoso descumprimento do preceito constitucional.” 
8) É autor do indecifrável besteirol abaixo, escrito em “fachinês”: 
“Partindo-se de uma análise crítica que arrosta a primeira modernidade – entendida como o legado eurocêntrico de um sistema patriarcal, codificado e arrimado em um Estado-Nação – a segunda modernidade – identificada em uma sociedade econômica regulada por leis próprias, na qual os direitos fundamentais deixaram o campo do debate da efetividade para consubstanciar um hiperconsumo das ideias destacadas da cidadania e da democracia –, buscar-se-á investigar como a complexidade do real e a mácula do aparente convivem sob uma Constituição dirigente, que proclama a emancipação do indivíduo e funda uma ordem pautada em princípios democraticamente erigidos. Com isso, pretende-se demonstrar que entre os significados da equidade, democracia e direitos humanos entroniza-se a compra e venda que tudo transforma em mercadoria, fazendo-se premente a construção de um novo direito, pautado em novos códigos e novos discursos, estruturados em uma principiologia axiológica de índole constitucional.” (FACHIN, Luiz Edson. Entre duas modernidades: a constituição da persona e o mercado. Revista de Direito Brasileira, v. 1, p. 101-110, 2011).

Fonte: Veja

.

sábado, 25 de abril de 2015

Sartori rompe com o Governo Federal e declara independência financeira do RS

Não defendo a desobediência civil nem o separatismo. Somos uma nação com Constituição e leis, uma federação como declarado em nossa Carta Magna. Podemos até questionar se o federalismo nos moldes de hoje é justo, mas a separação de fato, seja de um estado ou região não é admitida e nem prevista na atual Constituição. 

  • A federação brasileira é indissolúvel e que tal disposição, prevista já no art. 1.º da Carta Magna, foi inserida entre as clausulas pétreas da CF (art. 60, § 4º, inc. I); portanto, sequer por emenda constitucional admite-se a secessão (separação de um dos entes da federação para a formação de um novo Estado soberano).
  • “Crime contra a segurança nacional, contra a ordem política e social – Movimentos separatistas. Caracterização em tese do crime previsto no art. 11 da Lei n. 7170/83 – Providências requeridas pelo Ministro da Justiça – Conduta que não se reveste de ilegalidade do abuso de poder – Habeas Corpus preventivo denegado” (STJ – RT 705/373, julgado de 3.6.1993).
Mas o que fazer quando os repasses das arrecadações previstas na lei orçamentária do governo federal não são cumpridos, como aconteceu em 2014 quando houve atraso de parte dos repasses obrigatórios para Estados e municípios num valor estimado de R$ 2 bilhões? O que fazer quando as dívidas dos estados e municípios não conseguem ser renegociadas porque o governo federal não abre perspectivas para isto? Senta-se no chão e chora? Qual o limite para um prefeito ou governador reivindicar seus direitos líquidos e certos sendo responsável pela saúde, educação e segurança de seus cidadãos, mas não consegue administrar por falta de dinheiro?

O Governador José Ivo Sartori, para preservar a economia gaúcha e manter a máquina pública hígida, rompeu com o Governo de Dilma Roussef e suspendeu o pagamento da dívida do Estado para com a União e declarou:
– "Queremos leis que governem os homens e não homens que governem as leis."
Não vou entrar aqui nos méritos legais da decisão, mas eu acho que os governadores devem utilizar todos os mecanismos constitucionais para garantir o bem estar da população sob sua responsabilidade. A partir do momento que começarem a fazer isto, tenho certeza absoluta de que o governo se portará de forma mais responsável do que tem se portado hoje, sem espertamente contingenciar verbas e sem fazer populismo barato com dinheiro público.

.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Festa na UTI. A moribunda abriu os olhos e gemeu!

A grande diferença entre uma empresa privada de uma estatal está na seriedade com que os problemas são tratados. Numa grande empresa séria que tem ações na bolsa, o próprio presidente reúne diretores e acionistas para prestação de contas após o término do ano fiscal. Nessa reunião o presidente mostra os principais números, investimentos, perdas e lucratividade, fazendo uma projeção para os próximos anos.

Quando trabalhei numa grande multinacional, assisti um vídeo de uma dessas reuniões com acionistas. Após a apresentação do presidente, auditório lotado, foram colocados microfones nos corredores para ouvir os acionistas que desejavam fazer perguntas diretamente para o presidente e membros do comitê executivo internacional. Várias pessoas perguntaram, mas uma senhora de uns 80 anos foi a atração. Levantou-se decidida e com o dedo em riste, perguntou ao presidente porque suas ações não renderam tanto quanto ela esperava, dizendo que se não ouvisse uma boa resposta, saindo dali ela venderia suas ações para investir em coisa melhor.

O presidente calmamente respondeu com números, voltando para alguns quadros que já haviam sido projetados e explicou tudo novamente com muita paciência. Ao sentar-se de volta no auditório, um representante da empresa sentou-se ao lado dela com um relatório e acredita-se que ele estava tentando fazê-la entender os motivos da rentabilidade não ter sido a que ela esperava.

Aqui no Brasil, uma empresa como a Petrobrás tem um prejuízo de 21 bilhões (contra um lucro de 23 no ano anterior), perde 6 bilhões em corrupção, reduz em mais de 44 bilhões o valor dos seus ativos, não pagará dividendos para poder fazer caixa, mas aumenta os salários de sua diretoria de 100 para 123 mil. Somado a tudo isso, hoje o que se viu foi uma festa com a subida das ações após a publicação do balanço auditado.

De 2010 a 2015, o valor da Petrobrás caiu de 380 para 174 bilhões de reais, mas os políticos do governo e os diretores fizeram festa hoje porque as ações ordinárias - sem direito a voto - subiram 4%. No Brasil das estatais é assim... comemoram quando param de roubar. Realmente, num país de ladrões, parar de roubar representa um grande avanço!

Comemoremos... torradas verdes com queijo brie e noz macadâmia, regadas com Moet Chandon Dom Perignon.

Segura que agora vai!

quarta-feira, 22 de abril de 2015

O Fundo Partidário ou o Petrolão institucionalizado

Eu sempre procuro fazer comparações quando um número não cabe dentro das nossas cabeças. A triplicação aprovada do fundo partidário (Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos) que eu chamo de "Petrolão Institucionalizado", representa a quantia irrisória de 580 milhões a mais para os partidos se divertirem em suas campanhas.

580 MILHÕES A MAIS

- 20 hospitais com UTI ou,
- 23 presídios ou,
- 1150 escolas com postos de saúde ou,
- 17 mil casas populares

Só para o PT serão 116 milhões (ou 77 desses 580).

E o vice-presidente não sabia que essa verba dos partidos não poderia ser contingenciada. Isso porque ele é formado em direito pela USP, foi secretário de gabinete de Adhemar de Barros, secretário de segurança pública, seis mandatos de deputado um deles constituinte, presidente da câmara e vice-presidente pela segunda vez. É mole ou querem mais?

Estamos muito bem... ferrados.

Temer reconhece em nota que não é possível contingenciamento do Fundo Partidário
(Rafael Moraes Moura - O Estado de S. Paulo)

Brasília - Um dia depois de dizer que "pode vir a haver um eventual contingenciamento" dos recursos do fundo partidário, o vice-presidente Michel Temer divulgou nesta quarta-feira, 22, uma nota em que admite que o contingenciamento "não é possível".
(...)
As declarações de Temer foram alvo de críticas do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), nesta quarta. "Ela (Dilma), sem dúvida nenhuma, escolheu a pior solução. Ela deveria ter vetado, como muitos pediram, porque aquilo foi aprovado no meio do orçamento sem que houvesse debate suficiente, de modo que aconteceu o pior", criticou Calheiros.
(...)
Apesar do posicionamento dos presidentes da Câmara e do Senado, a proposta de triplicar os valores do fundo surgiu no Congresso. O governo propôs um fundo partidário de R$ 289,5 milhões. Entretanto, em meio aos desdobramentos da Operação Lava Jato, que apontou desvios de recursos públicos na Petrobrás e atingiu grandes empresas que costumam fazer doações nas campanhas eleitorais, como as empreiteiras, o relator do orçamento, o senador Romero Jucá (PMDB-RR), elevou o montante para R$ 867,5 milhões, proposta que foi aprovada por unanimidade, com apoio de parlamentares da base e da oposição.

Pela distribuição dos recursos, o PT será o partido que receberá o maior volume de recursos do fundo partidário - serão R$ 116 milhões, segundo cálculo da Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados.

sábado, 18 de abril de 2015

Acordo para continuarmos amigos e vivermos em paz

"Considera que não são as ações dos outros que nos perturbam, pois que pertencem ao domínio das suas vontades, mas a opinião que sobre ela formamos. Suprime-a, pois: trata de anular o juízo que te deixa indignado e a tua cólera se desvanecerá. Como suprimi-la? Meditando em que não há nisso nada de vergonhoso para ti, porquanto se houvesse outra coisa, além do mal moral, que fosse vergonhosa, tu também cometerias necessariamente muitas faltas; tu te tornarias um bandido, de qualquer maneira. " (Marco Aurélio - Roma Antiga)

1) Todas as vezes que eu falar sobre roubos do erário e alguma pessoa do seu partido estiver envolvida, JURO POR DEUS que não acho você igual a ela, mas que eles são exceções e no caso, apenas temos opiniões diferentes; 
2) Tenho amigos que gostam do PT, do PMDB, do PSDB, do PSB (ao qual fui filiado), do PSOL e de outros partidos, mas JURO POR DEUS que jamais trocarei uma amizade por causa dessa merda de política partidária; 
3) Procurarei não desafiar meus amigos partidários mais radicais (conheço muito bem aqueles que não se incomodam) quando postarem coisas com as quais eu não concordo e farei cara de paisagem, mesmo porque eles não poderão ver minha cara de paisagem e chamarem isso de provocação; 
4) Temos uma coisa em comum, estejam certos disso, mesmo porque se não concordássemos nesse ponto, aí realmente não conseguiríamos continuar amigos: NENHUM de nós é A FAVOR DA CORRUPÇÃO, seja ela pra QUALQUER FIM de QUALQUER PARTIDO, pois, temos certeza de que a famosa frase "Os fins justificam os meios" não serve para os que prezam a ética, e o único bom ladrão de que se tem notícia, morreu na cruz há mais de dois mil anos; 
5) E finalmente, como sei que meus amigos são TODOS a favor da liberdade de expressão, da democracia e que não são arautos apenas das causas pontuais como liberdade de opção sexual, cor de pele religiões, miseráveis e minorias, tenho certeza de que estou chovendo no molhado, mas por via das dúvidas e em nome da nossa amizade, estou escrevendo para que SOMENTE EU nunca me esqueça disso;

Obs: Mas se mesmo com essas precauções vocês continuarem se sentindo mal com os meus posts, não ficarei chateado se deixarem de ser meus amigos virtuais (mas só virtuais, ein?), pois, não me sentiria bem vendo-os sofrer por minha culpa.

JCG

(...)

terça-feira, 14 de abril de 2015

SEGURANÇA PÚBLICA: A COVA É MAIS EMBAIXO

Um desabafo lúcido do comandante da PMESP sobre o problema da segurança no Brasil que deve se ouvido atentamente. Muito embora existam situações onde se verifica o que chamam de abuso de autoridade ou violência excessiva da PM, há o outro lado da exposição diária ao perigo e o crescimento da criminalidade impulsionada, principalmente, pela entrada quase livre de drogas no Brasil, país que hoje se posiciona como campeão mundial no consumo e tráfico de crack e cocaína. Como bem disse o comandante, este é um problema que não pode simplesmente ser empurrado para os estados e ser avaliado como uma deficiência de estrutura ou formação das polícias estaduais. Na minha opinião, o comandante não fala apenas em nome da Polícia Militar, mas o desabafo envolve o problema das polícias como um todo.

Falamos tanto sobre a base da educação como medida preventiva para evitar que a criminalidade cresça, mas nos esquecemos de outras bases como a das penitenciárias que deveriam não só tentar recuperar criminosos, mas também manter os irrecuperáveis longe do convívio com seus bandos e da indústria do crime. O problema é pior... hoje os presos comandam ações de dentro das próprias penitenciárias porque não conseguem impedir a entrada de aparelhos celulares nem bloquear a comunicação.

Sem contar a lentidão da justiça que mantém condenados com penas já cumpridas e com a permissividade das leis que possibilitam reduções de penas e a soltura de presos que retornam rapidamente para o mundo do crime. E somos obrigados a ver ufanistas querendo a redução da maioridade penal como se ela fosse resolver o problema da violência no país. É óbvio que os menores criminosos devem ser considerados culpados pelos seus crimes como qualquer brasileiro maior, no entanto essa lei está longe de ser uma tábua de salvação para o problema da segurança no país.

Pra mim, contingenciar verbas já insuficientes dos orçamentos destinadas à saúde, segurança e educação deveria ser considerado crime hediondo. Reproduzo aqui um trecho da matéria "União aplica apenas 23% da verba para segurança pública" da ONG Contas abertas:

"A criminalidade é um dos temas que mais afligem o brasileiro. E é fácil entender por que: o país registra estatísticas de homicídios comparáveis a nações em guerra, a violência se espalha entre jovens e pelo interior do território. O governo federal acaba por manter certa distância do tema, uma vez que, por determinação constitucional, o controle das polícias militar e civil fica a cargo dos estados. Levantamento da ONG Contas Abertas revela, porém, que nem mesmo nas áreas em que é obrigada a atuar, a União faz sua parte como deveria. Dos 3,1 bilhões de reais previstos em orçamento para a segurança pública em 2012, 1,5 bilhão sequer foi empenhado. O governo aplicou apenas 738 milhões de reais - 23,8% do total."

Falamos hoje de milhões ou bilhões em roubos do erário e os números são tão grandes que nem cabem nas nossas cabeças, mas apenas para se ter uma ideia do que isto significa, se falarmos apenas do que está sendo descoberto na operação Zelotes, sem contar os escândalos do Petrolão, Mensalões, Metrolão e outros, os 19 bilhões estimados de desvio nessa operação equivalem a 5 vezes o Orçamento da União destinado à Segurança Pública. Ou apenas para efeito de comparação, à construção de quase 800 presídios, 700 hospitais com UTI ou  38 mil escolas com postos de saúde.

É nessas horas que a gente se revolta contra aqueles que partidarizam os roubos e desvios de dinheiro público e pergunta se esses manipulados pelos partidos vivem em algum outro país que não seja este Brasil que vivemos juntos. Não conseguem entender que enquanto ficam repetindo como papagaios que "seus ladrões são tão ou mais ladrões que os meus ladrões", milhões de brasileiros inocentes morrem em consequência de suas omissões como cidadãos que deveriam ser.

...

segunda-feira, 13 de abril de 2015

E A PELADA CONTINUA: ARRANCA-TOCO VS FURA-TOCA



Arranca-Toco e Fura-Toca eram dois times que meus queridos avô Juquita e tio Flávio mencionavam quando se referiam a jogos ruins entre times grandes pra chamá-los de pelada ou jogo de várzea. Eita joguinho vagabundo, diziam eles! É o Arranca-Toco contra o Fura-Toca!

Vejo algumas pessoas eufóricas comemorando a redução do número de manifestantes no protesto de ontem e outras lamentando e tentando justificar a redução. Eu acabo me divertindo porque essas reações partem dos mesmos observadores, pessoas completamente previsíveis. Meu time ganhou porque foi melhor; perdeu porque o juiz roubou.

Um roubo e um governo medíocre não o são ou deixam de ser porque muitos ou poucos gritaram "Pega ladrão!" ou "Fora governo corrupto!". Eles o são e continuarão sendo porque a realidade não muda com grito das torcidas e pra quem gosta de comparações, perdeu ou ganhou de 1 ou de 10, são dois pontos a mais ou a menos na tabela.

Os que dependem da opinião dos outros para ter a sua são os que andam em manadas, liderando ou sendo liderados. É desse tipo de gente que os partidos políticos adoram. Os zumbis conscienciais que se deixam levar pelo infundado medo do ridículo ou para ficar "por cima do bagaço", como se diz.

Sim... o governo que está aí, no qual incluo TODOS os partidos coligados, é o mais incompetente e corrupto da história política mundial e continuará sendo, tenham mil ou um milhão gritando nas avenidas paulistas deste brasilzão. Incompetente e corrupto, independentemente dos conservadores, das esquerdas, dos centros, de todas as ideologias e filosofias.

Ladrões, corruptos e incompetentes, seja com mil ou um milhão nas ruas.

sábado, 11 de abril de 2015

INTERVENÇÃO MILITAR: O MOMENTO É DE INTELIGÊNCIA

Estamos (ainda) numa democracia e a grande prova de que um país é livre está na tolerância e na prática da liberdade de expressão. Não vou ficar dando conselhos ou lição de moral em ninguém e nem tenho o direito de fazer isso, mas quero apenas chamar atenção para uma coisa muito importante neste momento de manifestações que é a EFETIVIDADE DAS NOSSAS AÇÕES. Sou absolutamente contra a intervenção militar, mas não estou escrevendo para discutir argumentos favoráveis ou contrários e sim para chamar os militaristas às suas razões. Os que desejarem se aprofundar no tema, sugiro que leiam "IMPEACHMENT/RENÚNCIA: A senhora da foto abaixo está completamente enganada. NÃO EXISTE “intervenção militar constitucional”.

Independentemente de argumentos, uma coisa é certa: a grande e esmagadora maioria dos que estão contra esse governo de mentirinha ou de mentiras é contra a intervenção militar e não há como questionar essa realidade. É momento de mais pragmatismo e inteligência e menos ufanismo. Isso me lembra duas frases de Albert Einstein:

  • "Meu ideal político é a democracia, para que todo homem seja respeitado como indivíduo e nenhum venerado"
  • "Nacionalismo é doença infantil; é o sarampo da humanidade."

O momento é de engrossar fileiras pelo bem comum. Não é momento de dividir, mas sim de somar. Aos militaristas peço que pensem na seguinte situação: milhões nas ruas e de repente aparece um grupo com uma faixa pedindo intervenção militar. A maioria que é contra se volta contra eles, discutem, brigam, agridem e se dividem. A imprensa fofografa, grava e isso se estampa nas manchetes. Quem perde e quem ganha? Ganha justamente aquele que deveria estar perdendo: O GOVERNO QUE ESTÁ AÍ.

Dia 12 é dia de ser mais inteligente e menos passional. Todos na rua pelo bem comum: a saída desse governo corrupto, mentiroso e incapaz.

O resto, discute-se depois.

...

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Os políticos burros e os mais ou menos inteligentes

Em qualquer segmento da sociedade, como entidades, empresas e outros, há pessoas limitadas, as medianamente inteligentes e as geniais. No entanto, na classe política me parece que o índice de ignorância está muito acima da média.

Mesmo depois de condenações e prisões, os políticos desonestos ainda insistem em negar e, pior do que isso, continuar roubando. Os partidos que acobertam seus ladrões tendem à extinção, mas me parece que eles não se preocupam muito. Talvez porque nossas frágeis instituições estão dominadas por agentes do mal, astuciosamente posicionados na hierarquia do poder. Para esses partidos, se acontecer o pior, monta-se um novo bando e registra-se uma nova sigla partidária.

Assim eles sempre pensaram; assim ainda pensam em pleno século XXI, a despeito do acesso à informação e da velocidade de sua propagação; a despeito da independência comprovada da Polícia e Justiça Federais e do Ministério Público. Muito embora os agentes do mal infiltrados nas instituições tenham tentado fatiar processos ou engavetá-los, libertar delatores e poupar figurões políticos, parte dessas instituições "não podres" está encontrando antídotos para essas pedaladas jurídicas nas próprias leis. Esta é a vantagem dos funcionários de carreira concursados e competentes em relação aos indicados pela máfia política.

A ÚNICA salvação para todos as partidos está na completa higienização em seus quadros diretivos e de filiados. Se assumirem a "mea culpa" poderão ter alguma chance de sobreviver ou de renascer das cinzas, caso contrário serão não só extintos como amaldiçoados pela população e pela história.

Alguns poderão dizer que nenhum partido sobreviveria a uma dedetização de seus ratos e que não existem políticos razoavelmente inteligentes, mas não penso assim. A qualidade pode facilmente superar a quantidade. Já disse um dia o escritor e filósofo André Gide:

"Acredito na virtude dos pequenos números, o mundo será salvo por um punhado de homens."










terça-feira, 7 de abril de 2015

Meditar nas cavernas do Himalaia ou reivindicar nas ruas?

Tudo na vida são escolhas. Não há certos ou errados quando as intenções são boas e agimos com consciência visando o bem comum. Não aquele "bem" pasteurizado da verdade única, do dualismo moral e sem nuances, onde o mal e os maus ficam de um lado e o bem e os bons do outro. Estou falando do bem e do mal intuídos, distinguidos por valores humanísticos milenares, sedimentados na liberdade, na fraternidade e no amor. São valores que adquirimos durante a vida e que jamais conseguiríamos relacioná-los todos numa lista porque foram se agregando aos poucos em nossa essência, tornando-se parte de nós.

Respeito os que decidem orar e meditar nesses momentos de crise política e social, direcionando energias para que as injustiças e os problemas sejam resolvidos ou minimizados. Toda ação direcionada para o bem estar da sociedade em que vivemos ou para a humanidade é digna de admiração e reconhecimento. Como eu disse no início, tudo na vida são escolhas e temos o direito de escolher.

No entanto, alguns não oram, não meditam e não protestam, mas criticam os que o fazem, ou porque acham que não adianta ou porque se escondem atrás da equivocada teoria da "não ação" para a "não reação", temendo energias contrárias ou aquisição de carmas, esquecendo-se de que a omissão também é uma ação que gera reação. Não adianta... estamos neste mundo para interagir, transformar e ser transformado. Em todo caso, não agir e criticar quem age também é uma escolha. Como eu disse no início, tudo na vida são escolhas.

Guardadas as devidas proporções, o que teria sido da Índia se Mahatma Gandhi tivesse se isolado numa caverna ou se Mandela não tivesse saído às ruas na África do Sul? E eu pergunto: existiriam pessoas no mundo contemporâneo tão pacifistas e espiritualizadas quanto eles? Ou será que eles estavam errados e nada teria mudado para melhor se eles não tivessem feito o que fizeram? E outros ainda poderão dizer: ah, mas eles foram avatares e suas missões espirituais eram essas! Oras... não seria uma visão muito limitada achar que vieram apenas para mudar e não para nos ensinar a mudar? Cristo veio para que? Para morrer numa cruz e nos fazer orar por ele para ele pelo resto de nossas vidas? Para que o mantivéssemos pregado na cruz, numa imagem de sofrimento, sangue e dor? Em nome de quais religiões e partidos políticos esses avatares agiram e transformaram o mundo? Em nome de qual ideologia?

De nenhuma. Eles agiram em nome da paz, da liberdade e do amor ao próximo. Eles vieram nos ensinar a mudar antes que as coisas cheguem numa condição insuportável. Nos ensinar que mudanças podem ser feitas por meio da não-violência, preferencialmente antes que a injustiça se instale para que haja menos sofrimento e dor. A paz e a liberdade são bens maiores e nada evolui sem esses bens.

Dia 12 de abril, nas orações e nas ruas seremos apenas um. Reivindicaremos pacificamente por um Brasil melhor e mais justo. Por um Brasil livre da corrupção, do ódio entre classes, do preconceito, dos partidos políticos e das ideologias mortas. Por um Brasil do retorno justo dos impostos para quem trabalha e os paga.

Dia 12 seremos um e sendo um, seremos mais.

...

segunda-feira, 6 de abril de 2015

ENERGIA = MASSA x VELOCIDADE DA INFORMAÇÃO AO QUADRADO


O que aumenta o poder de destruição nessa fórmula é que a velocidade da informação não é uma constante.

Não há comunismo sem controle da informação. Não há gratidão pelo assistencialismo que o sustente havendo liberdade de expressão e de acesso à informação. Essa é a grande lição que fica não só para o PT, mas para todos os partidos que pretendiam ver um Brasil socialista nos moldes do bolivarianismo. A redução da miséria oxigena o cérebro. O acesso à informação oxigena a consciência, aumenta o discernimento e decreta o fim dos currais eleitorais. O PT e partidos coligados descobriram isso tardiamente, às custas do caos econômico e do sofrimento de seus manipulados.

Diz a FSP: "Pesquisas internas do PT revelaram que a crise do segundo mandato de Dilma Rousseff provocou um 'derretimento da base social' do governo, nas palavras de um cacique da sigla. Trabalhadores e famílias beneficiadas por políticas de inclusão de gestões petistas dizem não tolerar mais a corrupção e reclamam que as medidas recentes do Planalto não condizem com as bandeiras defendidas na campanha. 'Perplexos', dirigentes dizem que o novo cenário “dificulta a reação” do partido.  A cúpula do PT tem feito reuniões periódicas em busca de um discurso para reconquistar os grupos tradicionalmente vinculados ao partido. Até agora, não conseguiram nenhuma fórmula mágica."

sábado, 4 de abril de 2015

Maioridade: primeiro a penal ou a racional?

Não há dúvidas de que não deve haver diferenciação dos crimes cometidos por menores que já são considerados conscientes para votar e eu iria mais longe, acho que essa qualificação se deve mais ao crime cometido do que à idade propriamente dita. Em alguns países desenvolvidos como Alemanha e Japão por exemplo, a maioridade penal é de 14 anos.

No entanto, mesmo sem considerar que nos próprios países que adotaram a medida ainda haja questionamentos sobre a sua eficácia, temos que considerar a realidade prisional brasileira e esse questionamento vai muito além da questão humanística, ou seja, do preso como ser humano que errou merecer ser bem tratado. É uma questão que deve ser avaliada sem paixões ou sentimento de vingança, mas sim com pragmatismo em relação aos benefícios que a sociedade poderia ter com a redução da maioridade penal.

Merecer ser preso e tratado como qualquer outro criminoso maior de idade é uma coisa, o que a sociedade ganhará com isso dentro do sistema atual é outro. Como eu disse, não se trata de questões humanísticas, mas sim práticas. Enganam-se os que acreditam que com os recursos permitidos pela legislação brasileira esses jovens permanecerão presos. Enganam-se também, mais ainda, aqueles que imaginam a recuperação dos que permanecerem presos.

Acho que a lei da maioridade penal pode e deve ser aprovada futuramente e vou além, deveria ser a partir dos 14 anos ou até menos, dependendo da qualificação do crime, mas não antes de lutarmos por uma reforma do atual sistema carcerário, independentemente de qualquer mudança nas leis atuais, sejam das que elegem os crimes ou das que definem a execução das penas.

É óbvio que a lentidão da justiça também é um grande problema, mas sem uma grande reestruturação seria possível apenas suavizá-lo com medidas paliativas como as que a sociedade já vem tentando por meio dos tribunais de pequenas causas, mediação e conciliação, mutirões de advogados e juízes para reduzir número de processos, etc.

No meu entender de leigo - por favor, considerem a essência do que escrevo sem o tecnicismo jurídico que muitas vezes só consegue complicar o simples - a ação imediata mais eficaz é a de melhorar o sistema carcerário, construindo mais presídios e melhorando os atuais, estruturando-os adequadamente para abrigar condenados, e isto envolveria não só as estruturas físicas dos presídios, mas também a readequação e qualificação da mão-de-obra utilizada.

Isto poderia ser feito IMEDIATAMENTE, independentemente de novas leis, de aprovação do Congresso ou permissão do poder judiciário, mas trata-se apenas de ação do poder executivo. Isto prepararia o terreno para redução da maioridade penal, implantação de sistemas corretivos mais adequados, além de outras medidas legais e burocráticas.

Em resumo, acho que deveríamos mudar o foco para atingir resultados mais imediatos ao invés de ficarmos discutindo filosofia ou tentando, neste momento de urgência, descobrir se o problema já vem se arrastando desde que Caim matou Abel.

Posts mais populares