quarta-feira, 8 de outubro de 2014

OS PARADIGMAS DA VELHA POLÍTICA

Esse primeiro turno das eleições deste ano quebrou alguns paradigmas da velha política e é prudente que os políticos - principalmente do executivo - corrijam e atualizem seus velhos e orelhudos caderninhos:

PESQUISAS: Monitorar a (in)satisfação popular dos governos continua sendo importante, mas os índices não são mais estáticos como antes e as inversões podem acontecer do dia para a noite. Se as pesquisas hoje tivessem tanto poder de persuasão quanto tinham no passado recente, essa discrepância com as urnas não teria sido tão significativa quanto foi.

REDES SOCIAIS: O efeito das redes sociais - reconhecido pelo próprio PT - foi decisivo para a virada de Aécio. A contra-propaganda partidária, seja por meio de seus militantes ou de milícias contratadas não têm força para transformar mentiras em verdades ou verdades em mentiras. A realidade com a chancela da imprensa mostrada GRATUITAMENTE em vídeos, áudios e textos é rapidamente multiplicada, sendo praticamente impossível escondê-la e muito menos ignorá-la.

FORMADORES DE OPINIÃO: Enquanto alguns adeptos do desgastado populismo teimam em desprezar os formadores de opinião, a influência deles nas periferias cresce, principalmente nas regiões sul e sudeste onde os eleitores são mais politizados e o acesso à informação de qualidade, mais democratizado. Na verdade estão nascendo formadores de opinião mais bem informados junto às comunidades das periferias.

O PESO DO DINHEIRO: Vimos algumas declarações ingênuas de algumas pessoas que trabalharam nas campanhas para determinado candidato e votaram em outro. Por que os partidos mais poderosos financeiramente, PT e PMDB, perderam juntos 31 deputados (18 e 13 respectivamente) e 4 senadores (dois cada um)? Para a presidência, o mapa mostra claramente as diferenças entre Dilma e Aécio nas regiões centro-oeste, sudeste e sul.

Portanto, se os políticos dessas regiões continuarem teimando em utilizar suas velhas cartilhas, certamente terão vida curta.

Graças a Deus!

(JCG)

Nenhum comentário:

Posts mais populares