sábado, 6 de julho de 2013

Nós, ratos de laboratório; eles, ratos de porão.

Numa metáfora ou gozação que escreveram num site sobre militares revoltados que desejam depor Dilma e que relembra um passado de repetição nada desejada, encontramos uma boa oportunidade de reflexão. Sem entrar nos méritos dos dois lados da época porque acabaria virando discussão sobre o sexo dos anjos e do passado podemos apenas tirar lições, há algum tempo cheguei à conclusão de que hoje somos vítimas de mágoas mal trabalhadas. Zé Dirceu, Genoíno, Rui Falcão, Inácio Arruda, Dilma e alguns poucos do PMDB - Lula não porque até hoje ele não entende o que aconteceu em 64, nem de um lado e nem do outro - não são fiéis à nenhuma ideologia.

Há uma frase de Jean-Paul Sartre que diz: "Eu era uma criança, esse monstro que os adultos fabricam com as suas mágoas". A democracia-criança do povo brasileiro está sendo vítima da teimosia e desejo de vingança de meia-dúzia de magoados, sobreviventes dos tempos da ditadura, período que não traz boas recordações pra ninguém. Não traz boas recordações para os que têm a liberdade como o bem mais precioso do ser humano, maior do que todas as razões ideológicas do mundo juntas. Estão se vingando de um passado que já se foi com o argumento de que não pode ser repetido. E eu concordo... não pode mesmo! Não pode e nem será, porque só nos testes com a nossa paciência nesses últimos 13 anos vocês já nos levaram ao limite da exaustão!

Fazem a todo instante pesquisas eleitorais e de popularidade do governo, mas agora a bola da vez é o plebiscito. Já experimentaram perguntar ao povo se ele quer novamente uma ditadura? Tirando alguns radicais fanáticos que representam muito pouco, a maioria esmagadora do povo certamente diria que NÃO. Mas será que uma pesquisa dessas interessaria a esses magoados que precisam manter o fantasma da ditadura nos rodeando e nos assombrando o tempo todo? O que eles fariam pra justificar esse ódio represado e desejo de vingança que os mantém vivos lutando sem guerra? Vingam-se no povo que em última análise eles também fazem parte. Mas como escreveu Nietzsche "Em tempo de paz o homem belicoso ataca a si mesmo."

Impõe-se um plebiscito para que uma nação com mais 30 milhões de analfabetos funcionais e um número maior ainda de ignorantes políticos, escolham entre sistemas de votos proporcional, distrital puro ou distrital misto, respondendo SIM ou NÃO. Para que? Para sossegar as ruas e sorrateiramente mudar a nossa já emendada, remendada e humilhada Constituição? Para que consigam ficar mais tempo no poder vingando-se de torturadores mortos e ditaduras que não existem mais? Para provar aos EUA, Inglaterra e outros países que vocês chamam de colonialistas, que se desejarem ficarão no poder o quanto quiserem tentando implantar suas ideologias mortas? Ideologias que fracassaram e destruíram países com raízes culturais muito mais profundas que as nossas?

Por quanto tempo ainda, nós inocentes ratos de seus laboratórios ideológicos, travestidos de crianças, jovens, adultos e idosos apelidados de cidadãos brasileiros, ainda conseguiremos ou teremos de suportar vivos a imagem desses mortos que também são nossos, mas cujos fantasmas só assombram vocês?

Nenhum comentário:

Posts mais populares