quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

O orgulho e a fraqueza de dizer sim ou não

O Poeta francês Pierre Reverdy escreveu: "É o orgulho que nos leva a dizer não e a fraqueza, sim. A serenidade pode dizer ambas as coisas sem paixão." Embora eu concorde com a segunda afirmação da frase sobre dizer ambas sem paixão e com serenidade, eu diria que o orgulho e a fraqueza podem nos levar a dizer tanto o sim quanto o não e citar exemplos seria desnecessário e enfadonho. É só pensar um pouquinho. Quantas vezes já deixamos de escolher um desafio por medo (fraqueza) e dissemos NÃO? E quantas já dissemos SIM para uma pessoa ou situação apenas para nos fortalecermos perante outra (orgulho)?

Vejo muitas pessoas que após haverem dito "sim" para alguém ou para uma determinada situação, terem se arrependido e o mesmo acontecido após terem dito "não" para uma outra. Quantas vezes já não ouvimos alguém (ou nós mesmos) dizer que precisa aprender a dizer não? E por que esse alguém não diz que precisa aprender a dizer tanto o sim quanto o não? A diferença entre os dois é que sempre conheceremos apenas os desdobramentos do sim. Ilusão achar que a vida está polarizada em apenas duas escolhas e que não pode haver espera ou até mesmo um "sim" ou um "não" condicionais.

A verdade é que muitas pessoas deixam de ser felizes por orgulho e fraqueza, tanto dizendo sim como dizendo não. No entanto, é muito mais fácil aprender a chegar à humildade e à sabedoria pelo caminho da fraqueza do que do orgulho. Como o ferro nas mãos do ferreiro, é mais fácil a vida moldar com o fogo do amor o fraco do que o orgulhoso rijo na frieza de sua soberba.

Nenhum comentário:

Posts mais populares