quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Thomaz Bastos, advogado, ex-ministro e profeta

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o ex-ministro e advogado de um dos réus do mensalão, Márcio Thomaz Bastos, provoca a manchete: "Ninguém será preso antes de 2013, diz advogado de réu do mensalão". No fundo, nem precisa ser advogado para declarar que ninguém será preso, não só antes de 2013, mas também depois. Nós, cidadãos leigos e desanimados com a justiça brasileira podemos dizer isto baseados no histórico da impunidade no Brasil.

Observa também a Folha: "Thomaz Bastos teve grande influência durante o primeiro mandato (2003-2006) de Luiz Inácio Lula da Silva, na indicação de nomes para o STF. Vários desses ministros hoje dão indicações de que podem votar pela condenação de mensaleiros. Thomaz Bastos diz não se arrepender de nenhuma indicação."

Ninguém acredita nesse papel de coadjuvante em que Thomaz Bastos se coloca em relação aos outros advogados. Ele, mesmo nos bastidores, com seu notório saber jurídico e status de ex-ministro, certamente comanda TODAS as ações dos defensores dos réus e não poderia ser diferente. No entanto essa previsão profetizada por Bastos em relação ao julgamento nos assusta, mesmo armados do velho ceticismo justificado pelo histórico da impunidade no Brasil.

Essas entrevistas e declarações proféticas de Thomaz Bastos, vão muito além do seu notório saber jurídico, chegando ao não tão notório conhecimento da máquina. Ele sabe "como as coisas funcionam".

Como as coisas funcionam? Oras... alguém pode me dizer como as coisas funcionam? Ou pelo menos como deveriam funcionar?

Nenhum comentário:

Posts mais populares