segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Medo, posse e libertação

Dentre os vários tipos de medo, os mais terríveis são os que provocam prazer mórbido inconsciente, ou seja, aqueles que repelimos racionalmente e tentamos superá-los, mas algo dentro de nós trabalha silenciosamente para que não os superemos. É o paradoxo do medo de não sentir medo.

Existem inúmeras razões para não querermos abandonar determinados medos e a maioria dessas razões envolve a prevenção contra os sentimentos de culpa e de perda . Não libertarmos nossos filhos pela preocupação de serem infelizes sem a nossa proteção; não libertamos nossos amores porque os queremos próximos. Escreveu Fernando Pessoa: "Possuir é perder. Sentir sem possuir é guardar, porque é extrair de uma coisa a sua essência."

Enfim... "Ninguém é mais escravo do que aquele que se julga livre sem o ser." (Goethe)

Leia também: Vencer o Medo

.

Nenhum comentário:

Posts mais populares