quinta-feira, 15 de março de 2012

Promoção Surya Pan - Campos do Jordão

O Surya Pan - The Wellness Hotel de Campos do Jordão está oferecendo uma diária para a 500ª  (quingentésima ou a de nº 500) pessoa que entrar no grupo "Fuja do Calor: suba pra Campos do Jordão" do Facebook. Esse grupo tem por objetivo divulgar eventos que estão acontecendo na cidade e oferecer promoções criadas por empresários locais que participam desse mesmo grupo. Estou postando apenas uma foto do excelente Surya Pan e não tentarei descrever o empreendimento neste post, pois, imagens falam mais do que palavras e os interessados poderão conhecê-lo clicando aqui ou na imagem abaixo e visitando o site.


ATENÇÃO PARA AS REGRAS E PARA GANHAR O PRESENTE DO SURYA PAN:

  1. A 500ª (quingentésima ou a de nº 500) pessoa que entrar no grupo, ganhará uma diária no Surya Pan de Campos do Jordão com entrada a partir das 12 horas do dia 14, sábado  (check-in)  e saída até às 12 horas do dia 15, domingo (check-out), além de 1 (uma) massagem relaxante;
  2. Promoção para NÃO RESIDENTES em Campos do Jordão, Santo Antonio do Pinhal e São Bento do Sapucaí;
  3. A ordem de entrada automática gerada pelo Facebook comprovará a  500ª adesão, definindo o ganhador (faremos cópia de tela - PrintScreen);
  4. O(a) ganhador(a) deverá enviar informações completas como nome e endereços completos com telefone para o e-mail fujadocalor@gmail.com para garantir seu prêmio;
  5. Em caso de desistência, o benefício será repassado para a pessoa imediatamente posterior (501) e assim sucessivamente;
  6. O(a) ganhador(a) concorda antecipadamente com a divulgação de seu nome na internet ou, eventualmente, na imprensa;
  7. O(a) ganhador(a) entende e aceita a condição de mero premiado(a), não exigindo quaisquer ressarcimentos em dinheiro dos prêmios ganhos;
  8. A mudança dos dias de check-in/out será possível desde que haja disponibilidade de nova data do Surya Pan;
  9. O endereço do grupo é  http://www.facebook.com/groups/fujadocalor/














O grupo terá outras promoções em outras datas. Para isto, basta acompanhar os posts diariamente em http://www.facebook.com/groups/fujadocalor/

Boa sorte!!

sábado, 10 de março de 2012

Como é que se pode comprar ou vender o céu?

É um texto antigo e cabe a mim apenas reproduzi-lo. Qualquer introdução tiraria a perfeição do que foi escrito.


Resposta do Cacique Seattle ao Governo dos Estados Unidos que tentava comprar as suas terras (1854):

Como  é  que se pode comprar ou vender o céu, o calor da terra? Essa idéia  nos  parece estranha. Se não possuímos  o  frescor do ar e o brilho da água, como é possível comprá-los?

Cada pedaço desta terra é sagrado para meu povo. Cada ramo brilhante de um pinheiro, cada punhado de areia das praias, a penumbra na floresta densa, cada clareira e inseto a zumbir são sagrados na memória e experiência de meu povo. A seiva que percorre o corpo das árvores carrega consigo as lembranças do homem vermelho.

Os mortos do homem branco esquecem sua terra de origem quando vão caminhar entre as estrelas. Nossos mortos jamais esquecem esta bela terra, pois ela é a mãe do homem vermelho. Somos parte da terra e ela faz parte de nós. As flores perfumadas são nossas irmãs; o cervo, o cavalo, a grande águia, são nossos irmãos. Os picos rochosos, os sulcos úmidos nas campinas, o calor do corpo do potro, e o homem - todos pertencem à mesma família.

Portanto, quando o Grande Chefe em Washington manda dizer que deseja comprar nossa terra, pede muito de nós.

O Grande Chefe diz que nos reservará um lugar onde possamos viver satisfeitos. Ele será nosso pai e nós seremos seus filhos. Portanto, nós vamos considerar sua oferta de comprar nossa terra. Mas isso não será fácil. Esta terra é sagrada para nós.

Essa água brilhante que escorre nos riachos e rios não é apenas água, mas o sangue de nossos antepassados. Se lhes vendermos a terra, vocês devem lembrar-se de que ela é sagrada, e devem ensinar as suas crianças que ela é sagrada e que cada reflexo nas águas límpidas dos lagos fala de acontecimentos e lembranças da vida do meu povo. O murmúrio das águas é a voz de meus ancestrais. Os rios são nossos irmãos, saciam nossa sede. Os rios carregam nossas canoas e alimentam nossas crianças. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem lembrar e ensinar a seus filhos que os rios são nossos irmãos e seus também. E, portanto, vocês devem dar aos rios a bondade que dedicariam a qualquer irmão.

Sabemos que o homem branco não compreende nossos costumes. Uma porção da terra, para ele, tem o mesmo significado que qualquer outra, pois é um forasteiro que vem à noite e extrai da terra aquilo de que necessita. A terra não é sua irmã, mas sua inimiga, e quando ele a conquista, prossegue seu caminho. Deixa para trás os túmulos de seus antepassados e não se incomoda. Rapta da terra aquilo que seria de seus filhos e não se importa. A sepultura de seu pai e os direitos de seus filhos são esquecidos. Trata sua mãe, a terra, e seu irmão, o céu, como coisas que possam ser compradas, saqueadas, vendidas como carneiros ou enfeites coloridos. Seu apetite devorará a terra, deixando somente um deserto.

Eu não sei, nossos costumes são diferentes dos seus. A visão de suas cidades fere os olhos do homem vermelho. Talvez seja porque o homem vermelho é um selvagem e não compreenda.
Não há um lugar quieto nas cidades do homem branco. Nenhum lugar onde se possa ouvir o desabrochar de folhas na primavera ou o bater das asas de um inseto. Mas talvez seja porque eu sou um selvagem e não compreendo. O ruído parece somente insultar os ouvidos.

E o que resta da vida se um homem não pode ouvir o choro solitário de uma ave ou o debate dos sapos ao redor de uma lagoa, à noite? Eu sou um homem vermelho e não compreendo. O índio prefere o suave murmúrio do vento encrespando a face do lago, e o próprio vento, limpo por uma chuva diurna ou perfumado pelos pinheiros.

O ar é precioso para o homem vermelho, pois todas as coisas compartilham o mesmo sopro - o animal, a árvore, o homem, todos compartilham o mesmo sopro. Parece que o homem branco não sente o ar que respira. Como um homem agonizante há vários dias, é insensível ao mau cheiro. Mas se vendermos nossa terra ao homem branco, ele deve lembrar que o ar é precioso para nós, que o ar compartilha seu espírito com toda a vida que mantém. O vento que deu a nosso avô seu primeiro inspirar também recebe seu último suspiro. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem mantê-la intacta e sagrada, como um lugar onde até mesmo o homem branco possa ir saborear o vento açucarado pelas flores dos prados.

Portanto, vamos meditar sobre sua oferta de comprar nossa terra. Se decidirmos aceitar, imporei uma condição: o homem branco deve tratar os animais desta terra como seus irmãos.

Sou um selvagem e não compreendo qualquer outra forma de agir. Vi um milhar de búfalos apodrecendo na planície, abandonados pelo homem branco que os alvejou de um trem ao passar. Eu sou um selvagem e não compreendo como é que o fumegante cavalo de ferro pode ser mais importante que o búfalo, que sacrificamos somente para permanecer vivos.

O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo.

Vocês devem ensinar às suas crianças que o solo a seus pés é a cinza de nossos avós. Para que respeitem a terra, digam a seus filhos que ela foi enriquecida com as vidas de nosso povo. Ensinem as suas crianças o que ensinamos as nossas que a terra é nossa mãe. Tudo o que acontecer à terra, acontecerá aos filhos da terra. Se os homens cospem no solo, estão cuspindo em si mesmos.

Isto sabemos: a terra não pertence ao homem; o homem pertence à terra. Isto sabemos: todas as coisas estão ligadas como o sangue que une uma família. Há uma ligação em tudo.

O que ocorrer com a terra recairá sobre os filhos da terra. O homem não tramou o tecido da vida; ele é simplesmente um de seus fios. Tudo o que fizer ao tecido, fará a si mesmo.

Mesmo o homem branco, cujo Deus caminha e fala com ele de amigo para amigo, não pode estar isento do destino comum. É possível que sejamos irmãos, apesar de tudo. Veremos. De uma coisa estamos certos - e o homem branco poderá vir a descobrir um dia: nosso Deus é o mesmo Deus. Vocês podem pensar que O possuem, como desejam possuir nossa terra; mas não é possível. Ele é o Deus do homem, e Sua compaixão é igual para o homem vermelho e para o homem branco. A terra lhe é preciosa, e ferí-la é desprezar seu criador. Os brancos também passarão; talvez mais cedo que todas as outras tribos. Contaminem suas camas, e uma noite serão sufocados pelos próprios dejetos.


Mas quando de sua desaparição, vocês brilharão intensamente, iluminados pela força do Deus que os trouxe a esta terra e por alguma razão especial lhes deu o domínio sobre a terra e sobre o homem vermelho. Esse destino é um mistério para nós, pois não compreendemos que todos os búfalos sejam exterminados, os cavalos bravios sejam todos domados, os recantos secretos da floresta densa impregnadas do cheiro de muitos homens, e a visão dos morros obstruída por fios que falam.

Onde está o arvoredo?
Desapareceu.
Onde está a águia?
Desapareceu

É o final da vida e o início da sobrevivência.

sexta-feira, 2 de março de 2012

As artimanhas do subpoder

Underground
Por que Dilma está tendo dificuldades para alegrar sua base aliada? Não é preciso um Sherlock Holmes para descobrir as razões, basta ter lido jornais e visto quantos ministros indicados por Lula saíram desde a posse da nova presidentE para saber o porquê (sem essa de "presidentA"... o correto é presidente: leia). Isso se chama prostituição política ou venda de alma pra garantir maioria. Deem o nome que quiser pra essa "astuta permuta", mas a causa não mudará e muito menos o seu efeito retardado.

As crianças mimadas de Lula atingiram a maioridade no governo da presidente Dilma e papinhas não conseguiam mais sustentar os estômagos monstruosos de seus alienados aliados alienígenas. Alienados porque perderam a razão e o pouquíssimo do bom senso que lhes restava; alienígenas porque não é só ao Brasil que eles não pertencem, mas devem ter vindo pra cá exilados, expulsos de outra galáxia.

Os jornais dizem que Dilma foi se aconselhar com Lula, mas não creio nisso. Não creio porque o jeito de governar da presidente é bem diferente do estilo castrista tupiniquim de seu antecessor. Dilma não tem pegada populista e só sabe administrar olhando o termômetro da opinião pública. Meno male. Já o ex-presidente Lula nunca deu bola pra termômetro porque tinha plena consciência da sua habilidade de manipular as massas, adquirida nos tempos dos palanques sindicais. Na minha opinião, Dilma foi "explicar" o porquê de não estar conseguindo segurar os revoltosos do subpoder. Isso é fácil de perceber porque se Dilma estivesse obedecendo Lula, a grande maioria ou todos os ministros hoje exonerados ainda estariam lá. No máximo, a presidente deve ter pedido pra Lula segurar a barra dela, utilizando sua fala-fácil para dialogar com os líderes dessa aliança raivosa. Só que Lula não tem mais a chave do cofre e está doente.

O que os políticos mal acostumados não conseguem entender - não sei se por teimosia ou burrice - é que essa época de mutretas fáceis está acabando. Não se consegue conciliar a democracia, liberdades de imprensa, na Internet e de expressão popular com segredos que durem como duravam antes. Fosse Lula o presidente, essa bomba poderia demorar mais para estourar por causa da habilidade que ele tinha pra assoprar o pavio, mas não tenho dúvidas de que uma hora explodiria e os danos seriam irremediáveis, não só para o PT como também para toda base aliada, exceto para os partidos nanicos.

Se o STF que é o STF, indicado pelo executivo não está conseguindo suportar a pressão popular, imagine um partido ou político que depende de votos para manter sua boquinha?

Ainda há tempo para esses alienados acordarem, pois, ninguém engolirá impeachment de presidente por questões de interesse político. Sim... culpam a imprensa e dão crédito para o povo nas ruas, mas Collor saiu porque peitou o Congresso. Não que não tivesse merecido... refiro-me à causa principal.

Acabou... a virada já aconteceu e aquele tempo já se foi. Falta agora cair a ficha dessas carolinas do século XXI. Ainda está em tempo para se transformarem em heróis. O povo engole um herói hipócrita, mas não um ladrão mentiroso.

.

Posts mais populares