quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Ficha Limpa - Vivas e calma! Estamos apenas começando.

Aprovada a lei da Ficha Limpa, renovam-se as esperanças no STF como guardião não só da constituição, mas também de sua interpretação em consonância com a vontade do povo. Infelizmente a lei não estende o impedimento para cargos do executivo, o que garantiria o total afastamento dos fichas sujas da política, eliminando de vez os pagamentos de favores prestados por algumas personagens já conhecidas nesse meio. Essas insistentes figuras inda permanecerão por algum tempo no cenário político, mas tendem a desaparecer por falta de uso. No entanto, que comemoremos a etapa vencida e deixemos momentaneamente de lado o perfeccionismo.

São duas lições importantes que aprendemos. A primeira é a de que o povo alcança vitórias quando se mobiliza, a despeito das manifestações elitistas de alguns ministros do Supremo que se comportam como se pertencessem à uma casta, não de notório saber jurídico, mas de seres dotados da capacidade incomum  de julgar o que a plebe deve ou não querer. Justificaria este meu comentário com vários trechos de discursos de alguns ministros que votaram contra, mas cito dois do ministro Gilmar Mendes ao dizer que o mesmo povo que aplaude a entrada da polícia nas favelas para matar não tem discernimento para desejar a aprovação da Ficha Limpa ("bater palmas para maluco dançar") e que a opinião pública é relativa. Pois é, cara pálida, são esses malucos que pagam os salários de "vossas excelências" para que nos defendam das injustiças, interpretando a essência da Constituição ao invés de agirem como guardiões da literalidade constitucional.

A segunda lição é para os fanáticos, os porta-bandeiras, torcedores partidários que defendem seus partidos e políticos do coração mesmo que assaltem o erário, o dinheiro dos impostos que pagamos e que deveria retornar em forma de benefícios para a saúde, segurança, habitação, educação entre outros. Pergunto para esses otários-úteis:
-Você viu seu político defendendo a Ficha Limpa antes ou durante o julgamento e nos felicitando pela vitória após a aprovação?
Se existiram foram pouquíssimos, mas mesmo assim tenho certeza de que muitos fanáticos dirão que se tratou de ética "profissional"... ética nada, isso se chama C O R P O R A T I V I S M O . E para quem não entende os malefícios do corporativismo, vou explicar mostrando como funciona a ordem de valores do político convencional:
1º - Preferência para si mesmo;
2º - Preferência para seu partido;
3º - Preferência para os partidos da aliança;
4º - Preferência para a classe, independentemente de partidos e alianças;
5º - Preferência para o povo em ano eleitoral para garantir a boquinha.
Que continuemos acreditando que é possível mudar, aderindo a movimentos que visem a moralização política do país, sabendo separar os interesseiros dos interessados e nos atualizando sempre da lista dos Fichas Sujas para que não sejam premiados com cargos no executivo.


.

Nenhum comentário:

Posts mais populares