sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

PIB, IDH e IRBES - Falando sobre qualidade de vida

Não sou expert nesses índices que estou postando, mas creio ser importante nos informarmos e refletirmos sobre eles. O governo brasileiro contesta a metodologia utilizada pelo Pnud - Programa das Nações para o Desenvolvimento. Mesmo que o governo esteja certo (embora  se os índicess fossem bons dificilmente contestariam), acredito que isto não melhoraria muito a posição atual do Brasil.

Creio que esses números devam ser vistos e analisados com cuidado, sem se preocupar com valores absolutos, tanto dos índices quanto das classificações. Isto porque se pegarmos como exemplo o Reino Unido, a Carga Tributária x PIB é quase a mesma, mas o país europeu está em 18º na classificação do IRBES (Indice de Retorno de Bem Estar à Sociedade), enquanto o Brasil está em 30º entre os 30 da primeira tabela abaixo deste post. Na classificação geral do IDH em 187 países (segunda tabela), o Reino Unido está em 28º e o Brasil em 84º.

Tanto no IDH quanto no IRBES, nota-se facilmente que os impostos que pagamos não retornam proporcionalmente, impactando negativamente em nossa qualidade de vida. Saúde pública, educação, moradia, alimentação e segurança são algumas das áreas afetadas e nem seria necessário dizer o quanto elas representam para a qualidade de vida dos cidadãos.

Dentre os vários motivos que emperram esse retorno de verba pública na forma de benefícios para o povo, podemos dizer que a corrupção, a utilização eleitoreira e a má administração do orçamento da união são os maiores responsáveis pelos desvios que acontecem nesse caminho de volta dos impostos. Muitos fanáticos não entendem que esse dinheiro roubado, desviado ou mal administrado não afeta apenas os cidadãos eleitores dos partidos que se opõe aos deles, mas prejudica todos os brasileiros.

As pessoas que têm consciência desse todo, sabem que esses malversadores do erário são responsáveis diretos pela desigualdade social, por doentes em macas nos corredores dos hospitais públicos, pela baixa qualidade de ensino/remuneração dos professores, pela falta de moradia, pelos altos índices de criminalidade e por aí vai.

Para atingir objetivos eleitoreiros os políticos sempre conseguem dinheiro. A preparação do Brasil para sediar a Copa do Mundo e as Olimpíadas é um bom exemplo. Quantos BILHÕES foram levantados sei lá de onde pelos governos federal/estadual para investir em estádios, infraestrutura aeroportuária e outras coisas mais? Imaginem esse esforço todo sendo direcionado para o bem-estar da população?

Analisem os números que reuni neste post e pensem bem: de que adianta sermos o 6º PIB mundial, sendo o 84º no IDH e 30º no IRBES? Vale a pena acobertarmos e protegermos ladrões ou administradores eleitoreiros por serem do nosso partido? Quem está sendo burro e quais são os verdadeiros espertinhos dessa história?


Clique e saiba mais sobre:



 CLASSIFICAÇÃO IRBE - ÍNDICE DE RETORNO DE BEM ESTAR À SOCIEDADE 


PAÍS
TRIBUTOS x PIB
CLASS TRIBXPIB
IDH
CLASS IDH
IRBES
CLASS IRBES
Austrália
25,90%
28
0,929
2
164,18
1
Estados Unidos
24,80%
30
0,910
3
163,83
2
Coréia do Sul
25,10%
29
0,897
12
162,38
3
Japão
26,90%
27
0,901
10
160,65
4
Irlanda
28,00%
25
0,908
4
159,98
5
Suíça
29,80%
22
0,903
9
157,49
6
Canadá
31,00%
20
0,908
5
156,53
7
Nova Zelândia
31,30%
19
0,908
6
156,19
8
Grécia
30,00%
21
0,861
25
153,69
9
Eslováquia
28,40%
24
0,834
26
153,23
10
Israel
32,40%
17
0,888
14
153,22
11
Espanha
31,70%
18
0,878
20
153,18
12
Uruguai
27,18%
26
0,783
29
150,30
13
Alemanha
36,70%
11
0,905
7
149,72
14
Islândia
36,30%
13
0,898
11
149,59
15
Argentina
29,00%
23
0,797
28
149,40
16
República Tcheca
34,90%
16
0,865
23
148,39
17
Reino Unido
36,00%
14
0,863
24
146,96
18
Eslovênia
37,70%
10
0,884
17
146,79
19
Luxemburgo
36,70%
12
0,867
22
146,49
20
Noruega
42,80%
6
0,943
1
145,94
21
Áustria
42,00%
8
0,885
16
141,93
22
Finlândia
42,10%
7
0,882
19
141,56
23
Suécia
44,08%
1
0,904
8
141,15
24
França
43,15%
4
0,884
18
140,52
25
Dinamarca
44,06%
2
0,895
13
140,41
26
Hungria
38,25%
9
0,816
27
140,37
27
Bélgica
43,80%
3
0,886
15
139,94
28
Itália
43,00%
5
0,874
21
139,84
29
Brasil
35,13%
15
0,718
30
135,83
30

Obs: A Classificação IDH acima é apenas em relação a esse grupo de 30 países. Para o grupo de 187, a classificação é outra (abaixo).




 CLASSIFICAÇÃO IDH - ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO 



CLASS
PAÍS
IDH
1
Noruega
0,943
2
Austrália
0,929
3
Países Baixos
0,910
4
Estados Unidos
0,910
5
Nova Zelândia
0,908
6
Canadá
0,908
7
Irlanda
0,908
8
Liechtenstein
0,905
9
Alemanha
0,905
10
Suécia
0,904
11
Suíça
0,903
12
Japão
0,901
13
Hong Kong
0,898
14
Islândia
0,898
15
Coreia do Sul
0,897
16
Dinamarca
0,895
17
Israel
0,888
18
Bélgica
0,886
19
Áustria
0,885
20
França
0,884
21
Eslovênia
0,884
22
Finlândia
0,882
23
Espanha
0,878
24
Itália
0,874
25
Luxemburgo
0,867
26
Singapura
0,866
27
República Checa
0,865
28
Reino Unido
0,863
29
Grécia
0,861
30
Emirados Árabes Unidos
0,846
31
Chipre
0,840
32
Andorra
0,838
33
Brunei
0,838
34
Estónia
0,835
35
Eslováquia
0,834
36
Malta
0,832
37
Qatar
0,831
38
Hungria
0,816
39
Polónia
0,813
40
Lituânia
0,810
41
Portugal
0,809
42
Bahrein
0,806
43
Letônia
0,805
44
Chile
0,805
45
Argentina
0,797
46
Croácia
0,796
47
Barbados
0,793
48
Uruguai
0,783
49
Palau
0,782
50
Roménia
0,781
51
Cuba
0,776
52
Seychelles
0,773
53
Bahamas
0,771
54
Montenegro
0,771
55
Bulgária
0,771
56
Arábia Saudita
0,770
57
México
0,770
58
Panamá
0,768
59
Sérvia
0,766
60
Antígua e Barbuda
0,764
61
Malásia
0,761
62
Trinidad e Tobago
0,760
63
Kuwait
0,760
64
Líbia
0,760
65
Bielorrússia
0,756
66
Rússia
0,755
67
Granada
0,748
68
Cazaquistão
0,745
69
Costa Rica
0,744
70
Albânia
0,739
71
Líbano
0,739
72
São Cristóvão e Nevis
0,735
73
Venezuela
0,735
74
Bósnia e Herzegovina
0,733
75
Geórgia
0,733
76
Ucrânia
0,729
77
Maurícia
0,728
78
Macedónia
0,728
79
Jamaica
0,727
80
Peru
0,725
81
Dominica
0,724
82
Santa Lúcia
0,723
83
Equador
0,720
84
Brasil
0,718
85
São Vicente e Granadinas
0,717
86
Arménia
0,716
87
Colômbia
0,710
88
Irã
0,707
89
Omã
0,705
90
Tonga
0,704
91
Azerbaijão
0,700
92
Turquia
0,699
93
Belize
0,699
94
Tunísia
0,698
95
Jordânia
0,698
96
Argélia
0,698
97
Sri Lanka
0,691
98
República Dominicana
0,689
99
Samoa
0,688
100
Fiji
0,688
101
China
0,687
102
Turquemenistão
0,686
103
Tailândia
0,682
104
Suriname
0,680
105
El Salvador
0,674
106
Gabão
0,674
107
Paraguai
0,665
108
Bolívia
0,663
109
Maldivas
0,661
110
Mongólia
0,653
111
Moldávia
0,649
112
Filipinas
0,644
113
Egito
0,644
114
Palestina
0,641
115
Uzbequistão
0,641
116
Estados Federados da Micronésia
0,636
117
Guiana
0,633
118
Botswana
0,633
119
Síria
0,632
120
Namíbia
0,625
121
Honduras
0,625
122
Kiribati
0,624
123
África do Sul
0,619
124
Indonésia
0,617
125
Vanuatu
0,617
126
Quirguistão
0,615
127
Tadjiquistão
0,607
128
Vietname
0,593
129
Nicarágua
0,589
130
Marrocos
0,582
131
Guatemala
0,574
132
Iraque
0,573
133
Cabo Verde
0,568
134
Índia
0,547
135
Gana
0,541
136
Guiné Equatorial
0,537
137
República do Congo
0,533
138
Laos
0,524
139
Camboja
0,523
140
Suazilândia
0,522
141
Butão
0,522
142
Ilhas Salomão
0,510
143
Quênia
0,509
144
São Tomé e Príncipe
0,509
145
Paquistão
0,504
146
Bangladesh
0,500
147
Timor-Leste
0,495
148
Angola
0,486
149
Myanmar
0,483
150
Camarões
0,482
151
Madagáscar
0,480
152
Tanzânia
0,466
153
Papua-Nova Guiné
0,466
154
Iémen/Iêmen
0,462
155
Senegal
0,459
156
Nigéria
0,459
157
Nepal
0,458
158
Haiti
0,454
159
Mauritânia
0,453
160
Lesoto
0,450
161
Uganda
0,446
162
Togo
0,435
163
Comores
0,433
164
Zâmbia
0,430
165
Djibouti
0,430
166
Ruanda
0,429
167
Benim
0,427
168
Gâmbia
0,420
169
Sudão
0,408
170
Costa do Marfim
0,400
171
Malawi
0,400
172
Afeganistão
0,398
173
Zimbabwe
0,376
174
Etiópia
0,363
175
Mali
0,359
176
Guiné-Bissau
0,353
177
Eritreia
0,349
178
Guiné
0,344
179
República Centro-Africana
0,343
180
Serra Leoa
0,336
181
Burkina Faso
0,331
182
Libéria
0,329
183
Chade
0,328
184
Moçambique
0,322
185
Burundi
0,316
186
Níger
0,295
187
República Democrática do Congo
0,286


Leia também: PIB, IDH e IRBES - Falando sobre qualidade de vida...

.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Conselho de um velho apaixonado





Conselho de um velho apaixonado
(Carlos Drummond de Andrade)

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer 
seu coração parar de funcionar por alguns segundos,
preste atenção: pode ser a pessoa
mais importante da sua vida. 

Se os olhares se cruzarem e, neste momento, 
houver o mesmo brilho intenso entre eles,
fique alerta: pode ser a pessoa que você está
esperando desde o dia em que nasceu. 

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo 
for apaixonante, e os olhos se encherem
d'água neste momento, perceba:
existe algo mágico entre vocês. 

Se o 1º e o último pensamento do seu dia
for essa pessoa, se a vontade de ficar
juntos chegar a apertar o coração, agradeça: 
Algo do céu te mandou 
um presente divino : O AMOR. 

Se um dia tiverem que pedir perdão um
ao outro por algum motivo e, em troca, 
receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos
e os gestos valerem mais que mil palavras,
entregue-se: vocês foram feitos um pro outro. 

Se por algum motivo você estiver triste,
se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa
sofrer o seu sofrimento, chorar as suas 
lágrimas e enxugá-las com ternura, que
coisa maravilhosa: você poderá contar 
com ela em qualquer momento de sua vida. 

Se você conseguir, em pensamento, sentir 
o cheiro da pessoa como
se ela estivesse ali do seu lado... 

Se você achar a pessoa maravilhosamente linda,
mesmo ela estando de pijamas velhos, 
chinelos de dedo e cabelos emaranhados... 

Se você não consegue trabalhar direito o dia todo,
ansioso pelo encontro que está marcado para a noite... 

Se você não consegue imaginar, de maneira
nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado... 

Se você tiver a certeza que vai ver a outra 
envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção
que vai continuar sendo louco por ela... 

Se você preferir fechar os olhos, antes de ver
a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida. 

Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes 
na vida poucas amam ou encontram um amor verdadeiro. 

Às vezes encontram e, por não prestarem atenção
nesses sinais, deixam o amor passar, 
sem deixá-lo acontecer verdadeiramente. 

É o livre-arbítrio. Por isso, preste atenção nos sinais.
Não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem 
cego para a melhor coisa da vida: o AMOR !!!


sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Investigação de negligência inclui a do governo?

Vou começar este post com um trecho do poema "Meditation 17" de John Donne:
"Nenhum homem é uma ilha, completa em si mesma; todo homem é um pedaço do continente, uma parte da terra firme. Se um torrão de terra for levado pelo mar, a Europa fica menor, como se tivesse perdido um promontório, ou perdido o solar de um teu amigo, ou o teu próprio. A morte de qualquer homem me diminui, porque na humanidade me encontro envolvido; por isso, nunca mandes indagar por quem os sinos dobram; eles dobram por ti. "
Folha de S.P. (20/01/2012): "A presidente Dilma Rousseff pediu que o ministro Alexandre Padilha (Saúde) apure se houve negligência de dois hospitais particulares no atendimento ao secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira, que morreu na madrugada de ontem (19). Ele teve um infarto, aos 56 anos, e deve ser enterrado hoje em São Paulo." (Matéria completa)

Muito justo e solidarizo-me com a família do secretário. É lícito e necessário que se investigue negligências em hospitais, mas por que será que "apenas a morte de ALGUNS homens diminuem o continente dos nossos poderosos John's Donnes brasileiros?" Já pensaram se a cada negligência ou omissão nos corredores dos hospitais do SUS a presidente e o ministro da saúde também pedissem pessoalmente uma rigorosa investigação? E vejam que no caso do secretário de Recursos Humanos o atendimento era convênio particular, provavelmente pago pelo governo.

Não vou entrar em detalhes sobre os casos de omissão e negligência médica em hospitais públicos. Para isto, basta utilizarmos o Google e fazermos uma simples pequisa. Veja o resultado clicando aqui.

Vejamos também a "Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - SUS (Publicada no D.O.U.de 6/11/1996)" que em sua introdução diz:

1. INTRODUÇÃO
Os ideais históricos de civilidade, no âmbito da saúde, consolidados na Constituição de 1988, concretizam-se, na vivência cotidiana do povo brasileiro, por intermédio de um crescente entendimento e incorporação de seus princípios ideológicos e doutrinários, como, também, pelo exercício de seus princípios organizacionais.

Esses ideais foram transformados, na Carta Magna, em direito à saúde, o que significa que cada um e todos os brasileiros devem construir e usufruir de políticas públicas - econômicas e sociais - que reduzam riscos e agravos à saúde. Esse direito significa, igualmente, o acesso universal (para todos) e equânime (com justa igualdade) a serviços e ações de promoção, proteção e recuperação da saúde (atendimento integral).
Qualquer comentário além dos que foram feitos neste post seria chover no molhado. Basta ver as fotos à esquerda para que tirem suas próprias conclusões!

Para terminar, alguns trechos da nossa Constituição Federal:


Art. 6.º (*) São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.

Art. 23. É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios:

Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O STF e sua percepção infra-sensorial

"O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello disse ao iG que mereceria ganhar um pouco mais que os R$ 26,7 mil que recebe mensalmente. E não só ele, mas todos os servidores públicos. Ele usa com principal argumento a Constituição. 'O que nos vem da Constituição? Que os servidores têm direito ao reajuste dos vencimentos uma vez por ano, visando repor o poder aquisitivo da moeda', diz."

"'Temos uma inflação; pequena mas temos. Eu hoje, por exemplo, que estou sem reajuste há vários anos, já não percebo o que eu percebia cinco, seis anos atrás. E continuo prestando os mesmos serviços. Há um desequilíbrio na equação e, portanto, um enriquecimento ilícito do próprio Estado', completa." (Fonte IG)

Não há como deixar passar esse duplo sentido da palavra PERCEBER que o ministro utilizou para se referir ao recebimento de seus vencimentos: "... já não percebo o que eu percebia cinco, seis anos atrás."

O senhor não está sozinho, ministro. Com algumas raras exceções, todos os outros ministros também não estão PERCEBENDO e vou mais longe ainda... não "percebiam", não "percebem" e dificilmente "perceberão", pois, vivem num país completamente diferente daquele dos brasileiros, cidadãos comuns.

Não percebem que até hoje não condenaram políticos corruptos, mas apenas laranjas e ladrões de galinha que devem ter percebido alguma coisa dos verdadeiros culpados para livrar a cara deles;

Não percebem que estamos cansados de ver tantas decisões injustas respaldadas pelo frágil e etéreo argumento da inconstitucionalidade que nem mesmo entre vocês é consensual;

Não percebem que moramos em um país onde idosos, mulheres grávidas e crianças doentes esperam para serem tratados nos chãos dos corredores dos hospitais públicos. Já os senhores se internam no Albert Einstein às nossas custas, mesmo quando acometidos por leve constipação;

Não percebem a violência nas ruas, pois, os senhores e seus parentes andam em carros blindados e moram em mansões protegidas por empresas de segurança... e tudo pago, de uma forma ou de outra, por nós contribuintes;

Não percebem que aos poucos, mesmo lenta e deficientemente pela qualidade de ensino e pelo salário miserável que os professores recebem, o povo já não é mais o mesmo e está mais informado do que antes sobre as falcatruas e roubos do erário, seja pela internet ou pela imprensa;

Não percebem que estamos cansados de ler notícias como:
  • STJ gasta R$ 39,4 mil em novas televisões;
  • STF gasta R$ 53 mil com aluguel de um carro;
  • Obras no Judiciário custarão quase meio bilhão em 2012;
  • STF gasta R$ 38 mil na compra de dois fornos de cozinha;
  • STF gasta R$ 107,7 mil na compra de poltronas;
  • Supremo encomenda R$ 56,7 mil em frutas;
  • STF vai pagar R$ 16,8 mil em calendários para 2011;
  • STF reserva R$ 4,5 mil para compra de 20 umidificadores;
  • STF vai gastar R$ 35 mil para alugar carros blindados;
  • ... e muitas outras mais.
Ninguém está dizendo que esses gastos não foram previstos ou são irregulares, mas numa conta rápida, podemos afirmar que só eles representam R$ 850 mil, equivalentes a 45 casas populares. Sem contar os míseros 3,5 milhões por ano que os 11 ministros recebem (menos benefícios), equivalentes a outras 180 casas.

Vossas Excelências não percebem, mas nós percebemos. Percebemos que ganham mais do que têm feito por merecer, julgando liminares em causa própria e impedindo o trabalho da corregedoria; obstruindo o Ficha Limpa, permitindo prescrições de penas e deixando ladrões do erário impunes e à solta, absolvidos por argumentos tecnicistas de inconstitucionalidade.

Sinceramente... lendo abaixo o preâmbulo da Constituição, será que conseguem perceber as injustiças e desigualdades que existem ainda neste nosso Brasil de povo servil?
"Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte, para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte Constituição da República Federativa do Brasil".
É, eu sei... não conseguem perceber mesmo. Só percebem o salário que percebem.


Leia Também:
  1. A Justiça é cega, mas a injustiça pode ser vista.
  2. Se cair a ficha, que seja a do Supremo.


Posts mais populares