terça-feira, 3 de maio de 2011

Bin Laden, WikiLeaks e os "hackers do bem"

Não... não vou falar da morte de Bin Laden e nem gastar meu tempo fazendo elucubrações e escrevendo sobre bestas apocalípticas, Illuminatis, Nova Ordem Mundial e fim de mundo. Deixo isso para os detetives cibernéticos, ficcionistas, romancistas e esotéricos. Nunca, nesta nossa geração, saberemos de todas as verdades. Como sempre, prefiro buscar nas entrelinhas dessas histórias, as sutilezas das realidades que afetam as nossas vidas.

Embora não sejamos tão inocentes, pudemos perceber nessa história da morte de Bin Laden, alguns detalhes interessantes. A CIA sabia que a possível casa do terrorista não tinha telefone e nem internet (perguntaram na prefeitura?), e que ele foi descoberto após interceptação de alguns e-mails de seu mensageiro (pediram pro provedor?).

Um dia antes da morte de Laden, o Estadão publicou a matéria Facebook é máquina de espionagem (clique e leiam), na qual o fundador do Wikileaks, Julian Assange, declara que o Facebook é a “mais espantosa máquina de espionagem já inventada”.

A internet está sendo disseminada a custos cada vez mais baixos no mundo inteiro e essa história de sigilo de dados para os cidadãos comuns, como nós, é conversa pra boi dormir. Blogs e outros serviços gratuitos, como facebooks, twitters e redes sociais, além de compras online... como tem gente boazinha neste nosso mundo, não? Já imaginaram o perfil que pode ser traçado de cada consumidor? De cada cidadão? Será que há criptografia e provedor capazes de garantir essa nossa "PRIVACIDADE", tão divulgada nos meios de comunicação? É evidente que os provedores de acesso não são parceiros conscientes dessa rede de informações, mas não pensem apenas em instalações físicas assentadas na superfície do Planeta. Qual o país que "manda" nos satélites?

Fica então, respondida a pergunta:
- Por onde passa obrigatoriamente todo esse tráfego de informações do mundo inteiro?
No entanto, nossa dependência hoje da rede mundial é grande e a tendência é aumentar cada vez mais. Estamos sendo "fichados" num imenso banco de dados? Podemos ter nossos dados "SIGILOSOS" quebrados com a desculpa (se descobrirmos) de que fazemos parte de uma sociedade secreta qualquer que está atentando contra a segurança mundial das "nações livres"? Julian Assange é hacker do mal e a CIA é hacker do bem? Quem escolhe e separa os bons dos maus? O bom ou o mau? Quem é bom e quem é mau?

Não olhem para trás agora, mas estamos sendo seguidos! Não... não é Teoria da Conspiração não. É probabilidade fundamentada em constatações.


Leia também: Pura Reflexão: WikiLeaks - Quem é o Batman?
.
.

Nenhum comentário:

Posts mais populares