sábado, 26 de fevereiro de 2011

Contribuinte ou sócio-contribuinte?

Continuando o assunto dos posts anteriores sobre orçamento e verbas ( "Orça-Mentem" e "Só faltava o palhaço de carteira assinada"), o governo Dilma começa mal, dando exemplos claros de que o discurso socialista do PT e de seus aliados não passa de retórica. A matéria "Estados governados pela oposição foram mais afetados com corte de emendas" do Contas Abertas só comprova a continuidade da politicagem  e do revanchismo desmedidos. Reproduzo abaixo alguns trechos da matéria:

"Os estados de Minas Gerais, Roraima e São Paulo, administrados por governadores tucanos, foram os maiores prejudicados pelo corte de emendas parlamentares já efetuado no orçamento da União para este ano, que somou R$ 1,8 bilhão. As emendas vetadas para Minas, de Antonio Anastasia, chegam a R$ 189,2 milhões. Em Roraima, de Anchieta Junior, a tesourada nos projetos que seriam desenvolvidos exclusivamente no estado foi de R$ 185,6 milhões. Já o corte em São Paulo, de Geraldo Alckmin, ficou em R$ 115,5 milhões"

As perguntas que eu faço são bem simples e diretas:

  1. Qual a culpa que o povo tem por ter exercido seu direito democrático de escolha?"
  2. Os impostos pagos pelos eleitores do governo valem mais?
  3. As necessidades dos estados que elegeram Dilma são diferentes?
  4. Somos uma república ou países dentro de outro país?
  5. Por que o dinheiro dos MEUS impostos é usado para comprar o que eu não quero e não preciso?
  6. Por que o dinheiro dos MEUS impostos é usado para comprar votos de parlamentares que não escolhi e sem a minha autorização (favorecer emendas)?
  7. Como as eleições para presidente estão equilibradas (Dilma teve 57% dos votos), de 4 em 4 anos teremos sempre somente 50% do país administrado e suprido em suas necessidades básicas?
Acho que já entendi... para eles, socialismo é privilegiar apenas os sócios. Do clube e dos "negócios".


Nenhum comentário:

Posts mais populares