terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Antítese Poética - Multidão/Deserto





Na Multidão - Perdida de Mim Mesma

Em meio à multidão
procuro individualidades
que se percebam...
Mas empurrada para diante
não consigo retornar.
nem mesmo olhar.
Querem que eu escolha
e determine...
querem me ver prosseguindo
de qualquer maneira.

Mas,eu desejo parar.
No meio da calçada
no meio da escada...
E libertar-me dessa decisão.
Que não é livre-arbítrio nem nada,
mas somente uma maneira
de seguir em frente...
"porque atrás vem gente".

Não quero assim,ir caminhando
sem poesia,sem olhos nos olhos,
sem o gesto mais simples
do entendimento comum.
Não quero seguir tropeçando
em palavras e conceitos
que podem ser meus,
ou de qualquer um...

Quero sim, deter-me
contemplando rostos,corpos,
nesse movimento insano...
de auto-defesa e solidão.
Mas,em seguida,bruscamente
retornar...na contramão.
E, se acaso,atropelar alguém
que seja só pra dizer,
"Desculpa,foi sem querer".



No Deserto - Encontro Comigo Mesma

Onde mais encontrar um refúgio
para meditar sem interrupções?
Onde mais revelar todos os temores
sem qualquer impedimento?
Onde mais ser dona absoluta
de meu próprio pensamento?

Onde mais deixar-me conduzir passivamente
hipnotizada pelo brilho das estrelas?
Onde mais conhecer-me em profundidade
com todas as limitações humanas?
Onde mais encontrar o sentido literal
de caminhar sem rumo a um destino certo?

Onde mais aplacar a sede é tão vital
onde a fome nem exige o paladar?
Onde mais, um amigo seria o supérfluo
e um inimigo, a última esperança?
Onde mais, tudo que resta de lembrança
é chama trêmula, pronta a se apagar?

Onde mais..onde mais...tão belas imagens
tão magnífica e completa solidão?
Onde mais se ouviria tão nítidamente
as batidas de um perdido coração?



MareLuz

-o-



Nenhum comentário:

Posts mais populares