sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Entre risos e migalhas

Perguntado ontem sobre o julgamento (indireto) da Ficha Limpa, o candidato Plínio Arruda Sampaio disse que em seus sessenta anos de vida pública sempre presenciou leis eleitorais casuísticas e elaboradas às pressas no período eleitoral. Ele se declarou a favor da lei, mas a observação sobre o casuísmo foi pertinente. Plínio tem razão, mas eu procuro sempre refletir e ir um pouco mais além da opinião lógica.
 

Não sei se Plínio também reparou que as atitudes políticas e leis mais justas aparecem justamente nesse período eleitoral, pois, é nessa época que bate o "remorso" interesseiro e eleitoreiro. É prova inequívoca de que os políticos sabem o que o povo quer e do que precisa, mas durante 3 anos só cuidam de seus próprios interesses e de seus partidos. Enquanto não houver consciência na hora do voto, nós, os miseráveis, continuaremos sobrevivendo dessas esmolas e migalhas bienais. Mesmo assim, pode ser que essas migalhas políticas dependam ainda da decisão de nossa Corte Suprema, que é o caso da Lei Ficha Limpa.

Mesmo vendo, presenciando e sentindo tudo isto, alguns eleitores fanáticos, manipulados ou vendidos, ainda continuam com seus gritos frenéticos de apoio ao seu "time" partidário predileto, sem notar que estão "defendendo" sua própria destruição. Um pouco mais de senso humanístico e de cidadania os colocaria acima de tudo isto. Se o casco do navio furou na proa ou na popa, tanto faz. Salve-se quem puder!

Enquanto isso, eles, os politicos mau-caráter, deitam, rolam e riem de todos nós...


-o-

Nenhum comentário:

Posts mais populares